Prefeitura de SP planeja corredor da zona sul ao centro

A Prefeitura de São Paulo planeja construir um corredor de ônibus para ligar o extremo sul da capital paulista ao centro, afirmou hoje o secretário municipal de Transportes, Alexandre de Moraes. As obras devem aproveitar o traçado de um corredor existente na Avenida M Boi Mirim e avançar até o Jardim Ângela, na divisa com Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo.

Agência Estado |

O projeto deve ser licitado no ano que vem e há estudos em curso para a construção de um corredor também nas zonas norte e noroeste da cidade, afirmou Moraes, em audiência pública na Câmara Municipal sobre o orçamento de 2009 para a secretaria.

Além de mais extenso, o novo corredor ocuparia duas faixas da Avenida M' Boi Mirim para permitir aos ônibus a ultrapassagem. "Hoje é uma só faixa", disse. "No horário de pico, temos um comboio, com um ônibus atrás do outro", explicou o secretário municipal de Transportes de São Paulo. Ainda não está definido o local para construção do corredor da zona norte.

A peça orçamentária da Prefeitura, que está em discussão na Câmara, prevê despesas de R$ 124,4 milhões para construção e reforma de corredores e terminais de ônibus, além dos gastos de rubricas específicas, como a das obras do Expresso Tiradentes e os repasses ao Metrô e ao Rodoanel Mario Covas. Os dispêndios previstos no Orçamento para a pasta totalizam R$ 1,39 bilhão.

A Secretaria Municipal de Transportes separou R$ 146 milhões para concluir no ano que vem os trechos 3 e 4 do Expresso Tiradentes, o que inclui o ramal Vila Prudente e o trajeto entre Vila Alpina e São Mateus, rumo à zona leste. O trecho 5, de São Mateus à Cidade Tiradentes, só deve ser entregue em 2010. Ainda na zona leste, a administração municipal destinará recursos para o Corredor Celso Garcia.

Metrô

Mesmo diante da crise econômica mundial, que pode ter reflexos nas receitas do Executivo municipal, Moraes descartou rever o investimento de R$ 250 milhões no metrô da capital paulista e classificou o repasse à Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) como "prioridade". As verbas para esse meio de transporte foram uma das principais bandeiras da campanha de reeleição do prefeito Gilberto Kassab (DEM).

O prefeito se comprometeu a investir R$ 1 bilhão até o fim deste ano e mais R$ 1 bilhão até 2012 no Metrô. "Faltam R$ 495 milhões que vão ser, tranqüilamente, pagos até o final do ano, dos R$ 4 bilhões que a Prefeitura tem em caixa", afirmou o secretário municipal de Transportes. "Não vai haver nenhum problema em completar o R$ 1 bilhão."

Moraes comentou ainda o possível acordo entre o Executivo municipal e o governo federal para turbinar as verbas do Metrô, em parceria com o governo de São Paulo. Ontem, Kassab foi a Brasília conversar sobre o projeto com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo Moraes, o pagamento de dívidas do município com a União seria revertido em investimento no Metrô. "A cada 3 reais pagos pela Prefeitura, o governo investiria um real", afirmou. "Tenho confiança de que o governo federal vai contribuir. Sinto um grande interesse do presidente."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG