Prefeitura de São Paulo não tem mapa do subsolo

SÃO PAULO - Desde que a Prefeitura de São Paulo decidiu cobrar mensalidades das empresas pelo uso do subsolo, discute-se a necessidade da elaboração de um mapeamento unificado do subterrâneo da capital. As permissionárias possuem plantas de fios e tubulações, mas o município não tem acesso a boa parte desses dados.

Agência Estado |

O subterrâneo continua sendo um mistério.

Em 2001, a Prefeitura chegou a contratar o Instituto Paulista de Ensino e Pesquisa (Ipep), por R$ 346.800, para elaborar o tal mapa. Três anos depois, a Agência para o Comércio e Desenvolvimento dos Estados Unidos doou US$ 145 mil para o município estudar a criação de um centro de informações sobre o subterrâneo. O atual diretor do Departamento de Controle do Uso de Vias Públicas (Convias), Ruy Villani, no entanto, não sabe onde esses recursos foram parar.

Até o fim do ano que vem, ele pretende integrar o cadastro das empresas ao mapa digital do município, que já está pronto, em escala de um para mil. Essa base existe desde 2004, mas não traz informações sobre o subsolo. Para conseguir esses dados, Villani precisa ter acesso às plantas subterrâneas das permissionárias. As informações são do Jornal da Tarde .

Leia mais sobre: subsolo

    Leia tudo sobre: são paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG