A prefeitura de Angra dos Reis estima que os deslizamentos de terra provocados pela chuva na virada do ano tenham causado um prejuízo de cerca de R$ 250 milhões. Várias casas foram soterradas na região, provocando a morte de mais de 40 pessoas.

Esse valor calculado pela prefeitura não inclui o que a cidade deixará de arrecadar após a tragédia, nas áreas de turismo, comércio e serviços.

O vice-prefeito de Angra dos Reis, Essiomar Gomes, que acompanha as buscas a corpos de vítimas no Morro da Carioca, no centro do município, informou que cerca de 80 casas terão de ser desapropriadas no local, porque se encontram em áreas consideradas de alto risco. A prefeitura informou que vai pagar o chamado aluguel social para os desabrigados.

Segundo Gomes, há um projeto para a construção de 400 moradias no bairro de Monsoaba, que custarão R$ 12 milhões, no total, e de mais 150 unidades no bairro de Bracuí, no valor de R$ 7,5 milhões. Estamos apenas aguardando a liberação [dos recursos] pela Caixa Econômica Federal.

No Morro do Bulé, dez casas terão de ser demolidas, por causa do risco de desabamento. De acordo com Gomes, os desabrigados serão levados para abrigos mantidos pela prefeitura, até que os conjuntos habitacionais seja construídos.

Angústia e dor de familiares e amigos:


Leia também:

Leia mais sobre: chuvas  e Angra dos Reis

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.