SÃO PAULO ¿ A Prefeitura de Santo André informou que a reconstrução e reparo das casas danificadas pela http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2009/09/24/incendio+em+fabrica+de+fogos+mata+2+em+santo+andre+8633929.html target=_topexplosão em uma loja de fogos no dia 24 de setembro na rua Américo Guazelli, na Vila Pires, começaram por volta das 10h desta quarta-feira. As obras vão priorizar as cinco casas interditadas pela Defesa Civil. Não há prazo para a conclusão dos trabalhos.


A Prefeitura informou que os recursos para o trabalho foram captados através do Fundo Social de Solidariedade da cidade. Entre doações e verbas da prefeitura, R$ 150 mil serão utilizados para a compra de material de construção. A mão-de-obra fica por conta da empresa Logic Engenharia e Construção Ltda, que se dispôs a fazer o trabalho gratuitamente, de acordo com a prefeitura. Quatorze funcionários trabalham na área.

Agência Estado
Vista do local destruído pela explosão de uma loja de fogos de artifício na Rua Américo Guazelli, na Vila Pires, em Santo André. Começaram nesta quarta-feira as obras nas casas danificadas pela explosão ocorrida no dia 24 de setembro. Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura, os trabalhos tiveram início por volta das 10h e não há previsão para serem concluídos. O material utilizado nas obras será comprado com os R$ 150 mil destinados às vítimas pelo Fundo Social de Solidariedade. A prefeitura ainda não sabe quanto será utilizado em cada residência.
Vista do local destruído pela explosão de uma loja de fogos de artifício na Rua Américo Guazelli, na Vila Pires, em Santo André.

Os dois primeiros moradores a terem suas casas reformadas são a aposentada Edione Cerveline, de 66 anos, e Mabel Aparecida de Carvalho, de 36 anos. A atual casa de Edione será demolida e uma nova será construída no local. A aposentada mora com o irmão e mais 14 cachorros.

A casa de Mabel já começou a ser reconstruída. A moradora pediu que as obras começassem pela edícula dos fundos, onde pretende morar enquanto o trabalho não termina. A Prefeitura de Santo André estima que essas obras sejam completadas em dois meses.

O trabalho nas outras três casas que também foram interditadas deve começar após o término das primeiras duas obras. Nenhuma delas terá que sofrer demolição. O trabalho nas outras 21 casas que foram danificadas, mas não interditadas, começará após o término destes cinco primeiros trabalhos.

A Prefeitura de Santo André afirma, ainda, que os moradores que preferiram sair de suas casas após a explosão têm a opção de se hospedar em um hotel em Santo André até o final das obras, com despesas pagas pelo Fundo Social de Solidariedade da cidade.

Região onde ocorreu a explosão:


Exibir mapa ampliado

Leia mais sobre: Santo André  - explosão

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.