Prefeito de Macaé diz que, sem royalties, projetos do município serão paralisados

O prefeito de Macaé, Riverton Mussi, disse nesta quarta-feira, durante passeata no centro do Rio, que com a emenda Ibsen diversos projetos que estão em andamento no seu município terão que ser paralisados. A cidade, localizada no norte do Estado, será uma das mais afetadas pela emenda, tendo sua receita reduzida em cerca de 40%.

Anderson Dezan, iG Rio de Janeiro |

Hoje temos 230 obras sendo realizadas e, sem os royalties do petróleo, elas terão que ser paralisadas. Com a receita vinda do pré-sal, o município custeia uma universidade, transporte e iluminação pública, entre outras coisas, disse Mussi.

Em conversa com o iG , o prefeito de Macaé revelou estar confiante que a emenda será barrada. Contamos com o Senado para vetar a lei de Ibsen Pinheiro, disse. Essa passeata é um momento único onde o Estado se une, sem divisão de partidos, para lutar por um direito que é de todos.

André Durão

Cariocas protestam contra divisão dos royalties do petróleo no Rio

Manifestação

Para a deputada estadual Cidinha Campos, o ato realizado no centro do Rio nesta quarta-feira irá conscientizar a população da situação que o Estado está enfrentando. As pessoas acham que o petróleo é problema do governo. Mas esse é o problema de todos nós, principalmente do povo, porque é nele que vai doer mais.

A deputada aproveitou para criticar a aprovação da emenda Ibsen pela Câmara. Essa emenda é inconstitucional. O Senado é a casa que defende o País como um todo e irá barrá-la. O Senado é diferente da Câmara, que defende grupinhos, alfinetou a parlamentar.

Leia também:


Leia mais sobre:

Emenda Ibsen

    Leia tudo sobre: manifestaçãomanifestaçõesmanifestopasseatapré-sal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG