O prefeito de Niterói, Jorge Roberto Silveira (PDT), disse hoje, em entrevista à rádio CBN, que tinha vaga ideia de que havia um lixão no bairro Viçoso Jardim, onde fica o Morro do Bumba. Silveira acabou comparando a chuva que atingiu a cidade ao tsunami na Ásia, que deixou 200 mil mortos em 2004, e ao terremoto no Chile, que matou mais de 800.

Silveira disse que quando foi eleito a primeira vez, em 1988, "sete anos após a desativação do lixão", já havia uma comunidade no local. "Eu não me lembrava exatamente onde era a localização do lixão. Eu tinha uma vaga ideia de que havia um lixão em Viçoso Jardim. Não houve liberalidade ruim para que se deixasse construir num lugar como aquele".

O prefeito explicou que deixou de visitar os 130 pontos da cidade em que houve deslizamentos por entender que a população queria "achar um culpado" e a sua presença estaria desviando a atenção e atrapalhando o trabalho de bombeiros. "O prefeito é a figura pública mais próxima e parece que ele é o culpado. Efetivamente não é. Não fui eu que mandei chover aquela quantidade de chuva, não fui eu que mandei desbarrancar tudo aquilo".

A apresentadora disse então que a população não o culpa, mas espera que ele assuma responsabilidades. O prefeito reagiu: "Eu não fujo às minhas responsabilidades, eu não me omito. Mas ninguém responsabilizou, por exemplo, os governos da Ásia pelo tsunami, que matou centenas de milhares de pessoas, nem responsabilizou a Prefeitura de Santiago, no Chile, pelo terremoto. E o povo de Niterói sabe que o que houve foi um desastre natural, como se fosse tsunami ou terremoto, algo impossível de se prever".

No fim da entrevista, cometeu um ato falho. "Fui eleito quatro vezes, com votações consagradoras. Existe realmente uma relação de amor entre mim e a prefeitura", disse Silveira, trocando em seguida a palavra prefeitura por "a cidade, a população de Niterói".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.