Preço alto não inibe venda de insumos agropecuários

Os agricultores brasileiros iniciam os preparativos para a safra 2008/09 cautelosos diante da escalada dos preços de insumos neste ano. Mas, com a cotação das commodities agrícolas em alta no mercado internacional e a firme demanda por alimentos, o produtor deve manter os investimentos em tecnologia para garantir boa safra.

Agência Estado |

A perspectiva das indústrias de fertilizantes e defensivos agrícolas indica aumento de até 6% nas vendas. Para o diretor-executivo da Associação das Misturadoras de Adubos (Ama-Brasil), Carlos Eduardo Florence, o ritmo deve ser mantido porque não houve alteração nos fatores que puxaram a demanda por alimentos em 2007. "O preço das commodities segue forte e a relação estoques/consumo continua baixa, o que estimula o avanço do plantio."

O aumento dos custos de produção fez parte dos agricultores brasileiros alterarem o calendário de compras de insumos para a safra 2008/09. Os produtores anteciparam compras de fertilizantes, repetindo movimento do ano passado, na tentativa de se protegerem contra a escalada de preços. Os números preliminares da associação mostram que as entregas de adubos no primeiro semestre cresceram cerca de 20%, para pouco mais de 11 milhões de toneladas.

Fontes do setor calculam que, deste total, cerca de 1,5 milhão de toneladas representam a antecipação de compras de fertilizantes. Florence observa que o cenário de alta prevalece. "O cloreto de potássio que está chegando agora ao mercado custou em média US$ 800 a tonelada. Mas, para entregas em agosto, o produto está em média US$ 1.000/tonelada." As informações são do O Estado de S. Paulo

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG