Precipitação de alguns setores contribuiu para queda do PIB, diz Lula

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que medidas tomadas por setores como a indústria automobilística diante da crise contribuíram para a queda do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de bens e serviços produzidos no país. Alguns setores da economia se precipitaram em praticamente acabar com os seus estoques. Eu poderia pegar, como exemplo, a indústria automobilística, que no mês de dezembro, praticamente não produziu carros, deu férias coletivas, e isso tem um significado muito importante na queda do PIB brasileiro, disse em seu programa de rádio Café com o Presidente.

Valor Online |

Na semana passada, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou uma queda de 0,8% no PIB do primeiro trimestre deste ano. Apesar de se dizer "um pouco triste" com o resultado, o presidente se mostrou otimista. "O que é importante é que o pior já passou e a economia brasileira está dando sinais enormes de recuperação", comentou. "Nós entramos por último nessa crise e vamos sair primeiro que todos os países", completou Lula, acrescentando que os investimentos e o consumo da população "não permitiram que o Brasil tivesse um efeito mais danoso na queda do seu PIB".

Lula também comemorou a queda da taxa Selic, que na semana passada teve redução de um ponto percentual, passando de 10,25% para 9,25% ao ano. "Desde que foi criada, é a primeira vez que ela está abaixo de dois dígitos. É a primeira vez desde 1986, o que é uma coisa extremamente significativa", ressaltou.

O presidente voltou a falar da necessidade da redução do spread bancário (a diferença entre os juros que o banco paga aos investidores e o que cobra nos empréstimos). "O spread ainda está muito alto, o spread ainda está seletivo, e nós vamos manter todo o esforço para controlar a inflação".

(Agência Brasil)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG