Praga faz SP erradicar 3 milhões de pés de laranja no semestre

SÃO PAULO (Reuters) - Citricultores do Estado de São Paulo, maior produtor de laranja do Brasil, erradicaram no primeiro semestre deste ano 3 milhões de pés de laranja afetados pelo greening, doença que pode destruir um laranjal se não for combatida. O número de plantas erradicadas --a erradicação é a única forma de combater a doença-- mais que dobrou na comparação com o segundo semestre de 2008, quando os produtores paulistas erradicaram 1,34 milhão de árvores, de acordo com pesquisa divulgada nesta terça-feira pela Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo.

Reuters |

O Estado, que produz cerca de 85 por cento da fruta no país, tem 194,8 milhões de pés de laranja produzindo --a safra 2009/10, que está sendo colhida, foi estimada em junho em 358,4 milhões de caixas de 40,8 kg, um pequeno aumento na comparação à temporada passada .

São Paulo também abriga quase todo o parque industrial brasileiro de suco de laranja, produto que gera divisas ao Brasil da ordem de 2 bilhões de dólares ao ano --o país é o maior exportador mundial da commodity.

O aumento na erradicação dos pés de laranja mostra, segundo técnicos da secretaria, "a agressividade da doença e o maior combate pelo citricultor", de acordo com um relatório. Mesmo as regiões consideradas novas para a citricultura no Estado, como o sudoeste, já têm o registro da doença, informou o governo.

A secretaria, entretanto, não detalhou o impacto do greening na safra.

Os números sobre a erradicação da doença foram obtidos por meio de uma pesquisa realizada junto ao setor produtivo, com o objetivo de medir o combate à doença.

"Oitenta por cento das propriedades com citros, cerca de 18 mil, entregaram os relatórios de inspeção e erradicação...", afirmou a secretaria em comunicado, observando que a adesão é maior que a registrada no levantamento anterior, quando o índice foi de 77,68 por cento.

Há uma regra governamental que obriga o citricultor a fazer a inspeção do pomar pelo menos uma vez a cada três meses, com o objetivo de identificar e eliminar as plantas com sintomas de greening. O produtor é ainda obrigado a apresentar dois relatórios anuais à Coordenadoria de Defesa Agropecuária, da secretaria estadual.

O greening, que apareceu no Brasil em 2004, afeta todas as variedades de citros, e é uma das piores doenças que atingem os laranjais.

É uma doença bacteriana transmitida por um inseto vetor (o psilídeo Diaphorina Citri).

(Reportagem de Roberto Samora)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG