Solteiros buscam ajuda de Santo Antônio no Dia dos Namorados

Em Curitiba, paróquias vendem tradicional bolo com santinhos. Reza a lenda que quem encontrar imagem receberá pedido de casamento no próximo ano

Luciana Cristo, iG Paraná |

Uma forcinha de Santo Antônio é sempre bem-vinda para ajudar a arrumar um bom casamento. Conta a tradição que, encontrando uma imagem sagrada dentro do bolo comemorativo à data de Santo Antônio – comemorada no dia 13 de junho, segunda-feira – o casamento é certo. 

Em Curitiba, sete paróquias celebram a data de Santo Antônio dessa maneira. Com tanta procura, a Igreja de Bom Jesus, uma das pioneiras na distribuição do bolo na capital paranaense, neste ano preparou oito toneladas de bolo para atender à demanda dos fiéis na paróquia, localizada no centro da cidade, ao lado da Praça Rui Barbosa. A expectativa é de venda de 35 mil pedaços da guloseima, feita de pão-de-ló e com recheio de doce de leite. 

Luciana Cristo
Igreja de Bom Jesus, em Curitiba, preparou bolo de oito toneladas
Para não ter dúvidas e correr o risco de pegar um bolo sem a imagem do santo casamenteiro, muitas mulheres preferem não arriscar: em vez de apenas uma fatia de bolo, compram várias de uma vez para levar para casa. Ao total, são 8 mil imagens colocadas dentro do bolo. Em alguns casos, no lugar de um santinho, já foram encontradas até duas imagens dentro do mesmo pedaço, segundo contam as vendedoras. Muitas pessoas também voltam para agradecer graças recebidas em anos anteriores. 

Outras pessoas precisam de um estímulo de algum familiar. São muitas as senhoras que chegam com potes para levar o doce para filhas, netas e sobrinhas. A voluntária Rute Camargo atribui o casamento da neta, no ano passado, ao encontro da imagem no pedaço de bolo que levou para ela, meses antes. “Todo ano levo vários pedaços para a minha família. No ano passado, na fatia de bolo da minha neta Thaís, ela encontrou o santo. Na época, ela tinha terminado com o namorado. Logo depois de comer o bolo, os dois voltaram e casaram em novembro. E para o fim do ano ela já está esperando o primeiro filho”, relatou. 

A procura pelo bolo não é exclusividade das mulheres. O jovem André Medeiros, de 22 anos, solteiro, era um dos homens na fila para comprar o bolo. “Conhecia a tradição de família. Eu não acredito, mas também não duvido. Conheço uma moça que achou o santo hoje, me ligou para contar e a gente brincou que, agora sim, ela casa. Depois eu vim para cá”, conta. Mais do que casamento, Medeiros estava em busca de uma benção. “O objetivo maior é o amor, independentemente de qual seja, como um pedido de saúde por alguém da família”, acredita. 

Significado

Embora a associação mais comum que se faça ao encontrar a imagem de Santo Antônio no bolo seja a concretização de um casamento, o significado é mais amplo, segundo conta o Frei Alexandre Magno Cordeiro da Silva. “É uma graça. Mas algumas pessoas precisam de um empurrãozinho e já vêm com essa predisposição para o casamento. Se encontrar a imagem de Santo Antônio, então é ‘porque Deus quer’ o casamento”, diz o frei. 

dependendo da paróquia. Neste domingo, os interessados em obter a graça do santo têm até às 21h para comprar o bolo em Curitiba, que continua a ser vendido nesta segunda-feira, a partir das 7h, ou até a terça-feira, se ainda houver fatias, na Igreja Bom Jesus. O bolo também pode ser encontrado em outras paróquias da cidade: Nossa Senhora do Carmo (bairro Boqueirão); São José do Capão Raso (bairro Capão Raso); e as Paróquias Santo Antônio, nos bairros Boa Vista, Parolin, Orleans e Uberaba.

Luciana Cristo
Reza a tradição que quem encontrar imagem de um santinho no pedaço de bolo se casará em breve

Santo casamenteiro

A primeira associação de Santo Antônio com a bênção a um casamento com amor vem de um fato histórico, ocorrido com Santo Antônio ainda em vida, no ano de 1225, de acordo com o Frei Alexandre. “Para garantir o casamento entre pessoas da mesma classe social, um senhor feudal instituiu um grande dote que deveria ser pago pelas moças, unindo casais com base no dinheiro e não no sentimento. A situação chegou até Santo Antônio, que conseguiu persuadir o senhor feudal a mudar de ideia”, contou o frei. 

Séculos mais tarde, já transformado em santo, um milagre teria acontecido em Lisboa, cidade natal de Santo Antônio, que também é associado ao casamento por ser conhecido como o santo das causas perdidas. “Uma moça tinha uma mãe que estava em dificuldades financeiras e, para contornar a situação, teria de abrir mão do amor da vida dela para casar com um homem de posses, mas sem caráter. Ao rezar para Santo Antônio, um bilhete que caiu do céu dizia à moça que procurasse um rico comerciante da cidade, que ele lhe daria, em moedas de prata, o equivalente ao quanto pesasse aquele papel”, disse o frei. Segundo a história que chegou até os dias de hoje, quando o papel foi colocado na balança, só equilibrou ao alcançar o valor de 300 escudos em moedas de prata, que a moça entregou à mãe, livrando-se do casamento que ela não queria. 

Além do bolo, marcado para comemorar a data de Santo Antônio, o pão é outro alimento associado ao santo casamenteiro que está sempre presente nas festas, que em vida deu todos os pães do convento onde trabalhava como cozinheiro para os pobres que foram lhe pedir comida. Em formato de um pão bem pequeno, a orientação é de colocá-lo no meio de outros alimentos, símbolo para que nunca falte comida na mesa das famílias e que possam contribuir com as famílias mais humildes.

Luciana Cristo
Pedaços do bolo tradicional são vendidos por cerca de R$ 2,50 cada

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG