Policiais civis do Paraná podem entrar em greve no sábado

Policiais decidiram iniciar a operação padrão a partir desta quinta-feira e uma paralisação total após 48 horas

AE |

selo

Os policiais civis do Paraná podem entrar em greve no próximo sábado de carnaval caso o governo não melhore a oferta na proposta de aumento salarial. A informação é do presidente do Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná (Sinclapol), André Luís Gutierrez. 

Brasil: Em ao menos 21 Estados, salário de policiais é inferior a R$ 2,5 mil; Paraná é o menor
Distrito Federal: PMs entram em estado de greve e iniciam operação-padrão
Espírito Santo:  PMs aceitam propostas e não entram em greve

A decisão foi tomada na noite desta quarta-feira, durante assembleia na qual a categoria rejeitou a nova tabela de salários apresentada pelo governo. De acordo com Gutierrez, os policiais decidiram iniciar a operação padrão a partir desta quinta-feira, e uma paralisação total após 48 horas. "O governo será notificado da decisão hoje", disse o presidente. 

Na operação padrão, será mantido o efetivo de 30% e não serão elaborados boletins de ocorrência nem sequer investigações. "Vamos manter 100% de atendimento apenas nos casos relacionados contra crimes contra a vida", explicou.

Pós-greve: Governo da Bahia garante 20 mil policiais no carnaval

A proposta do governo prevê aumento salarial que chega a 23,5% para o salário de ingresso dos policiais militares e 26% na remuneração inicial para policiais civis. Para peritos da criminalística, a variação será de 8% a 15%, enquanto auxiliares de perícia terão aumento entre 28% e 31%. 

Quem já recebe um valor maior que o subsídio terá a irredutibilidade salarial garantida por parcela diferenciada, que será corrigida normalmente pelos índices de reajuste na data-base do funcionalismo público estadual. Além disso, há vários escalonamentos previstos até 2014. 

Com os percentuais oferecidos pelo governo, o salário de um agente de operações policiais, por exemplo, passaria dos atuais R$ 2.733,72 para R$ 3.013,93, mas os policiais reivindicam R$ 5.700,00. "Somos técnicos de nível superior e assim queremos ser tratados", declarou Gutierrez. 

A proposta do governo, que regulamenta o regime de remuneração das forças de segurança por subsídio, conforme prevê a Emenda 29 da Constituição Estadual, será encaminhada para a Assembleia Legislativa no dia 1 de março para ser implantada na folha de pagamento do Estado de maio. Estão previstos também os escalonamentos de reajustes até 2014. As tabelas com as novas remunerações foram apresentadas para as entidades que representam os policiais civis e militares do Estado.

    Leia tudo sobre: operação-padrãoparanápoliciais civis

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG