Paraná terá gabinete para barrar entrada de armas no País

Governador reconheceu número insuficiente de policiais federais e as falhas no controle das fronteiras

AE |

selo

Uma semana depois do massacre na Escola Municipal Tasso da Silveira, no Rio de Janeiro, e com a discussão sobre o desarmamento retomada no País, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, reconheceu que o número insuficiente de policiais federais e as falhas no controle das fronteiras dificultam a repressão ao tráfico de armas. Mas ele disse que o governo tentará superar essas carências com eficiência de gestão e com ações integradas tanto entre os Estados como com os países que fazem fronteira com o Brasil.

Cardozo ainda anunciou o lançamento, até o fim do mês, de um gabinete de gestão integrada em parceria com o governo do Paraná para aumentar o policiamento na fronteira e combater a entrada de armas no Brasil. Isso vai ocorrer paralelamente ao lançamento da nova Campanha do Desarmamento. Os detalhes da campanha serão definidos na segunda-feira, em reunião com representantes de associações. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: armascontroleparanámassacre

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG