Juiz interdita cadeia do Paraná por superlotação

Direção do presídio tem seis meses para transferir pelo menos 200 presos para outros locais

Luciana Cristo, iG Paraná |

Com três vezes mais presos do que a capacidade permitida, a Cadeia Pública Hildebrando de Souza, em Ponta Grossa (a 115 quilômetros de Curitiba) foi interditada pelo juiz da Vara de Execuções Penais da cidade, Antônio Hygena.

No momento da interdição, decretada nesta quarta-feira, havia 536 presos, sendo que a capacidade do local é para 170 homens que deveriam ficar na cadeia provisoriamente, até que eles sejam condenados e passem a fazer parte do sistema penitenciário estadual.

Agora, a direção da cadeia pública tem seis meses para retirar pelo menos 200 presos do local, medida que aliviaria a situação, embora não seja a ideal. Desde que houve a interdição, 18 presos saíram da cadeia pública, sendo que 12 foram transferidos para a Penitenciária Estadual de Ponta Grossa e os outros seis obtiveram alvará de soltura.

As próximas transferências devem ocorrer em um ritmo mais lento, porque dependem de abertura de vaga no sistema penitenciário, informou a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Segurança Pública.

    Leia tudo sobre: Ponta GrossaParanácadeia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG