Jacarezinho e Londrina confirmam mais duas mortes por dengue

Total de vítimas fatais desde o início do ano sobe para cinco no Paraná

Luciana Cristo, iG Paraná |

A morte de mais duas pessoas causada por dengue hemorrágica foi confirmada na tarde desta quarta-feira (9) pela Secretaria de Estado da Saúde do Paraná. O total de vítimas fatais, desde o início do ano, é de cinco desde o início do ano.

Uma das vítimas fatais, uma mulher de 46 anos, foi atendida na cidade de Jacarezinho, na região paranaense conhecida como Norte Pioneiro. A outra morte ocorreu em Londrina, norte do Paraná, de uma paciente do sexo feminino, com 41 anos, que morreu dia 18 de fevereiro, em decorrência de dengue com complicação.

Jacarezinho e Londrina também são os locais das outras três mortes registradas até o momento, causadas por dengue hemorrágica, considerada a forma mais grave da doença. As duas cidades respondem por 68,6% dos casos de dengue no Paraná em 2011.

Os motivos apontados pelo governo estadual são a deficiência no combate ao mosquito Aedes aegypti durante o ano passado e as dificuldades na atenção aos pacientes. Nas últimas semanas, essa demanda por profissionais e equipamentos foi amenizada com investimentos estaduais e municipais.

Boa parte das notificações da doença está na região norte do Paraná. Na região de Londrina, esse índice ultrapassa 5,6 mil. Em Jacarezinho, são mais de 1,8 mil notificações até agora. A região de Foz do Iguaçu, na fronteira com o Paraguai, aparece na sequência, com 1.405 notificações.

Casos graves

Além das mortes, preocupam os casos que evoluem para um quadro grave, que já atingiu 29 pacientes do Paraná, sendo 16 por dengue com complicação e 13 por febre hemorrágica de dengue. No meio dos números considerados preocupantes, a Secretaria de Saúde ressalta que na última semana caiu o número de casos de dengue com complicação em Londrina.

Mas ainda é cedo para que a situação se mostre mais calma. Um novo caso de paciente que veio a óbito em Londrina com suspeita de dengue aguarda confirmação de exames laboratoriais. Também é uma mulher, de aproximadamente 40 anos.

De acordo com a coordenadora de Epidemiologia de Londrina, Sandra Caldeira, a cidade ainda está na curva ascendente dos casos de dengue. Dos mais de 6,5 mil caoss notificados como suspeitos da doença, 1.552 foram confirmados e outros 4,4 mil ainda estão em andamento. “Os números que temos da doença estão atrasados em pelo menos três semanas, se levarmos em conta que o período de encubação leva de três a 15 dias, mais o tempo de coleta do exame, que é feito a partir do sétimo dia do aparecimento dos sintomas”, calcula.

Ainda de acordo com Sandra, o resultado das ações desenvolvidas por prefeitura e governo estadual nas últimas semanas ainda vai levar algum tempo para surtir efeito. “Enquanto isso a população tem que estebelecer alguns cuidados e eliminar possíveis criadouros nas casas”, alerta.

    Leia tudo sobre: dengueparaná

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG