Homem mata esposa com 22 facadas e chama a polícia

Vanildo Marinho atacou Maria Inácia por suspeita de traição. Após matá-la, suspeito chamou a polícia e diz que foi um ato "impensado"

AE |

selo

O operador de máquinas Vanildo Ribeiro Marinho, de 29 anos, foi preso na madrugada de quinta-feira (6) na cidade de Toledo, a cerca de 540 quilômetros de Curitiba, no Paraná, após matar a mulher, a auxiliar de serviços gerais Maria Inácia da Silva, de 33 anos, com 22 golpes de faca. Depois de perceber que ela tinha morrido, Marinho telefonou para a Polícia Militar contando o que havia feito.

Leia outros casos de violência contra a mulher

Ele forneceu o endereço e esperou a polícia na porta da casa. A filha do casal, de dois anos, dormia no quarto. De acordo com o escrivão Vilmar Hang, Marinho disse que tinha sido alertado por um amigo que a mulher o traía. Na noite de quinta-feira, o casal teria começado a beber cerveja por volta das 10 horas.

Pouco depois da meia-noite, teria havido uma discussão entre eles e o rapaz teria falado a respeito da possível traição. Marinho contou à polícia que Maria Inácia pegou uma faca de cozinha para ameaçá-lo e ele imediatamente apoderou-se de outra, com a qual desferiu os golpes. 

Depois de chamar a PM, ele foi levado à delegacia em estado de embriaguez, dizendo-se arrependido. "Ele disse que foi um ato impensado", afirmou o escrivão. Hang acentuou que a filha do casal foi encontrada ainda dormindo pelo Conselho Tutelar. Marinho não tem antecedentes criminais e, segundo afirmou, havia uma convivência pacífica entre ele e a mulher, que tem outros dois filhos de um casamento anterior, mas que não moram na mesma casa. Ele foi autuado por homicídio qualificado, em razão do entendimento da polícia de que o motivo foi fútil e sem dar chance de defesa para a vítima.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG