Ex-deputado chefia esquema de contrabando de óculos, diz polícia

Francisco Horta (ex-PL, atual PR, e ex-PFL, atual DEM) é suspeito de chefiar esquema que teria causado prejuízo de R$ 50 milhões

Luciana Cristo, iG Paraná |

Policias civis e militares prenderam, nesta sexta-feira, integrantes de uma quadrilha que atuava há 10 anos no contrabando de óculos nos estados do Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Minas Gerais, durante a operação Ilusão de Ótica. A sonegação de impostos causou um prejuízo de R$ 50 milhões, segundo cálculo preliminar dos investigadores.

Segundo informação da Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp) do Paraná, a quadrilha era chefiada pelo ex-deputado federal por Minas Gerais e atual presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte, Francisco Sales Dias Horta (ex-PL, atual PR, e ex-PFL, atual DEM). O ex-deputado tinha o apoio de familiares e funcionários que serviam como laranjas para a criação de empresas de fachada. Ele foi um dos presos durante a operação.

Até o começo da tarde desta sexta-feira foram presos 11 suspeitos no Paraná, sendo quatro em Paranavaí e sete em Curitiba. Outras cinco pessoas foram presas em Minas Gerais. Junto com os presos, foram apreendidas cerca de 100 mil peças de óculos, além de fuzis e granadas. Ao todo, são 25 mandados de prisão e 90 de busca e apreensão nos quatro Estados. No centro de Curitiba (PR), a polícia chegou a interditar uma rua para fechar as portas de uma ótica, a Visomax.

A investigação

Cinco meses de investigações da Delegacia de Estelionato e Desvios de Cargas levantaram evidências de que redes de óticas de Curitiba e Belo Horizonte (MG) receptavam mercadorias de origem chinesa, que entravam no Brasil pelo Paraguai. As redes Visomax e Grupo Vega, de Curitiba, e Centro Óptico, de Belo Horizonte, teriam adulterado notas fiscais para legalizar os produtos e sonegar tributos.

Todos os envolvidos serão indiciados por receptação de carga de origem ilícita, formação de quadrilha, falsificação de documentos público e particular, lavagem de dinheiro, estelionato, sonegação fiscal, corrupção, adulteração e comercialização de produtos nocivos à saúde, comunicação falsa de crime, apropriação indébita e fraude previdenciária.

O delegado-chefe da Delegacia de Estelionato e Desvio de Carga de Curitiba, Cassiano Aufiero, explica que o trabalho de investigação continua em busca de outras pessoas que tenham envolvimento com a quadrilha, e há possibilidade de ex-funcionários públicos federais e estaduais terem contribuído na sonegação dos impostos.

Riscos à saúde

Óculos com lentes multifocais sem qualidade podem causar desconforto e dores de cabeça. Já os óculos escuros que têm apenas as lentes escurecidas não fornecem qualquer tipo de proteção contra raios solares, alerta o médico e presidente da Associação Paranaense de Oftalmologia (APO), Ezequiel Portella.

A orientação ao consumidor é pedir o certificado de garantia na hora da compra de um óculos. “As grandes e boas marcas possuem esse certificado, com selo e número de série. E é preciso ficar de olho nas óticas que oferecem parcelamento a preços muito baixos”, orienta o médico.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG