Doceira diz que envenenou doces para adiar festa de adolescente no PR

Margareth Marcondes afirmou que teria gasto todo o dinheiro recebido pela festa e que queria mais tempo para arranjar o dinheiro

AE |

selo

A doceira, Margareth Aparecida Marcondes, de 45 anos, presa na madrugada de sábado  (31) em Santa Catarina, confessou durante depoimento que adicionou veneno aos doces enviados para uma adolescente , no dia 12, em Curitiba, Paraná. 

Detenção: Presa suspeita de enviar brigadeiros envenenados no Paraná

AE
A doceira Margareth Aparecida Marcondes após ser presa e prestar depoimento
Segundo o delegado Rubens Recalcatti, responsável pelo caso, Margareth alega que fez isso para tentar adiar a festa da adolescente, de 14 anos, porque já teria usado todo o dinheiro pago pelos doces, em torno de R$ 7 mil, e com o adiamento teria tempo para arranjar o dinheiro. 

Margareth, que é amiga da família da jovem, foi contratada para fazer a festa de 15 anos da jovem e mandou uma caixa com brigadeiros como amostra. A adolescente e outros quatro amigos comeram os doces e foram internados. A adolescente foi internada no Hospital de Clínicas de Curitiba e apesar de ter tido duas paradas cardíacas, não ficou com sequelas. Todos passam bem. 

Segundo o delegado, Margareth também espancou seu marido, no último dia 20, com medo de que ele soubesse que teria sido ela a autora do envenenamento. Ele permanece internado e seu estado de saúde é crítico, de acordo com o delegado. 

Margareth foi encontrada por policiais militares dormindo dentro de seu carro, em Barra Velha, Santa Catarina, por volta das 4 horas do sábado. Segundo o delegado Rubens Recalcatti, ela teria fugido até Porto Alegre e voltado para Santa Catarina, onde foi presa.

    Leia tudo sobre: paranábrigadeirodoceira

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG