Deslizamentos comprometem oleoduto da Petrobras no Paraná

Chuvas que atingiram o Estado provocaram divessos danos desde o último final de semana

Luciana Cristo, iG Paraná |

Três dutos de combustível da Petrobras estão com a operação interrompida por causa dos deslizamentos de terra do Paraná provocados pela chuva no final da semana passada. A Petrobras descarta o risco de vazamento nos dutos. Sobre a possibilidade de desabastecimento na região, a situação ainda não está muito clara, mas o recado é de tranquilidade. Em nota oficial divulgada nesta quarta-feira, a Petrobras diz que “no momento, não vislumbra problemas de abastecimento”.

Fabiano Moreno/ PRF
Imagem mostra estrago causado pela chuva na BR 277, que liga Curitiba ao litoral do Estado
O presidente do Sindicato de Combustíveis Minerais e Derivados do Estado do Paraná (Sindicombustíveis-PR), Roberto Fregonese, avalia que é difícil um desabastecimento, mas não descarta que possam ocorrer situações pontuais. Em reunião com representantes da Petrobras na noite desta terça-feira, Fregonese diz que foram apresentados oito pontos críticos de interrupção no oleoduto que vai da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), na região metropolitana de Curitiba, até Paranaguá, no litoral do Estado.

Técnicos da Petrobras fazem os trabalhos das condições operacionais do duto, sem que haja previsão de normalizar o serviço, por causa da extensão dos danos. “Os estoques das bases da Repar estão em níveis confortáveis e existe um programa de abastecimento de outras refinarias que auxiliam nesse momento”, diz Fregonese.

De acordo com a Petrobras, também há problemas em outros dois dutos no Paraná: o duto de petróleo Ospar, que liga o terminal de São Francisco do Sul a Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, e o poliduto Opasc, de ligação da Repar às bases de Santa Catarina (Itajaí, Biguaçu e Guaramirim). Os dois têm previsão de retorno de operação até o fim desta semana.

Caso haja necessidade das companhias distribuidoras para atendimento ao mercado, a Petrobras afirma que pode disponibilizar a entrega de derivados em outros polos, principalmente em São Paulo, na Refinaria de Paulínia (Replan), e na Refinaria Henrique Lage (Revap).

    Leia tudo sobre: PetrobrasParanáchuvas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG