BR-277 é liberada no sentido Curitiba

Os veículos são acompanhados em comboio pela Polícia Rodoviária Federal

Lucian Cristo, iG Paraná |

Principal ligação de Curitiba ao litoral do Paraná, a BR-277 voltou a ser liberada as 21h deste domingo. A concessionária que administra o trecho, a Ecovia, informou que o tráfego de veículos no sentido Curitiba foi liberado por volta das 21h e os veículos seguem em comboio acompanhados pela Polícia Rodoviária Federal.

Divulgação/ PRF
BR 277, que liga capital paranaense ao litoral, voltou a ser interditada devido a queda de pontes


A BR-277 estava interditada desde a manhã de sexta-feira , em função das fortes chuvas que atingiram o Paraná. A rodovia foi, então, parcialmente liberada para os veículos na manhã deste domingo, mas teve que voltar a ser fechada durante a tarde.

Na sexta-feira, o temporal destruiu completamente três pontes ao longo da rodovia, além de ter aberto uma cratera de aproximadamente dez metros na via. A concessionária estima que serão necessários seis meses para reconstruir as pontes.

Para atender Morretes, Antonina, Paranaguá e Guaratuba, quatro municípios do litoral paranaense afetados por enchentes e desmoronamentos de terra, o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB) pediu ajuda ao governo federal neste domingo .

Morretes declarou estado de calamidade pública, quando há uma situação anormal provocada por desastres e que comprometem substancialmente a capacidade de resposta do poder público.

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, informou ao governador do Paraná que o Exército pode disponibilizar uma ponte metálica caso seja necessário instalar o equipamento em estradas interrompidas. “Estamos avaliando esta necessidade”, disse o governador em reunião extraordinária convocada na manhã deste domingo com alguns dos principais secretários de estado. Segundo o governador, o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, se comprometeu a liberar recursos emergenciais de acordo com a necessidade do Paraná.

Mortes e estragos

Duas pessoas morreram soterradas em Antonina. Uma terceira morte foi confirmada pelo marido da vítima, que viu a mulher ser carregada pela chuva.

Além das mortes, a Defesa Civil registrou um total de 16 mil pessoas atingidas pelos fortes temporais. A maior parte delas, 15 mil, são de Morretes, cidade que no sábado ficou com praticamente 100% do seu território embaixo d´água, de acordo com as equipes de resgate, por causa do transbordamento de rios. De Floresta, onde havia risco de desmoronamentos, 146 pessoas foram retiradas de helicóptero e de barco. Outras localidades atingidas foram Morro Inglês, Martha e Santa Cruz.

    Leia tudo sobre: chuvapontesdesabamentoparaná

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG