A VC Consultoria, que fazia empréstimos consignados em Curitiba em nome do banco, foi fechada sob suspeita de irregularidades

As pessoas que foram lesadas pela VC Consultoria, empresa que fazia empréstimos consignados em folha de pagamento de aposentados e pensionistas, serão ressarcidas pelo Banco BMG, do qual a empresa atuava como correspondente bancário. Um serviço já está disponível a quem quiser fazer reclamações.

A VC Consultoria foi fechada na semana passada em ação deflagrada pelo Ministério Público do Paraná e pela Polícia Civil, suspeita de aplicar golpes e de fazer empréstimos com valores maiores do que o autorizado pelos clientes. Segundo a polícia, a VC pode ter desviado aproximadamente R$ 10 milhões de seus clientes e, até o momento, cerca de cem pessoas teriam sido prejudicadas com o esquema. Os responsáveis pela VC estão presos, os bens da empresa foram indisponibilizados pela Justiça e todas as lojas da financeira no Paraná, Santa Catarina e Rio de Janeiro foram lacradas.

Um termo de ajuste de conduta firmado entre o BMG e o Ministério Público do Paraná (MP-PR) determina que o banco faça a revisão de todos os contratos firmados por meio da VC, para descobrir a quantidade exata de irregularidades e identificar possíveis fraudes. Nos casos em que ficar comprovado o débito em relação ao aposentado ou pensionista, o BMG vai ter que arcar com o prejuízo e pagar o cliente, com o valor integral.

Embora o BMG não seja o alvo das investigações, o Código do Consumidor prevê que a instituição vai ter que pagar aos clientes, já que mantinha a VC como intermediária entre o banco e os clientes. A partir de amanhã, o BMG vai ter 30 dias para fazer a revisão dos contratos, que será acompanhada por um auditor do Ministério Público.

Atendimento

O BMG colocou uma linha de telefone para atender os clientes: 0800-723-2044. Quem tiver dúvidas e reclamações ainda pode procurar a filial do Banco BMG em Curitiba (Avenida Marechal Deodoro, 869, 1º andar - Ed. Center Tower – Centro). Logo depois da operação policial, o BMG suspendeu o contrato com a VC. Cartas informativas também serão enviadas a todos os clientes da VC Consultoria.

Em nota, o BMG afirma que está à disposição para esclarecimentos. “Reiterando os compromissos de respeito ao consumidor e obediência à legislação que pautam a atuação da empresa, não por acaso líder no seguimento de crédito consignado”, diz o documento.

Defesa

O advogado da VC Consultoria, Heitor Amante, nega as irregularidades na empresa apontadas pela polícia. Segundo ele, é impossível que a VC tenha desviado R$ 10 milhões, porque pela empresa não passava o dinheiro dos empréstimos. “À VC Consultoria não chega valores, o dinheiro passa diretamente do banco à conta do financiado. Esta é uma grande armação da polícia”, acusa ele. ”Fala-se em centenas de lesados, mas hoje há apenas oito boletins de ocorrência, enquanto a VC firmou 18 mil contratos em um ano, em quatro Estados”, diz Amante.

Durante os mandados de busca e apreensão, na semana passada, a polícia também encontrou uma grande quantidade de contratos em branco, assinados por clientes. O advogado argumenta que este é um procedimento normal no sistema de financiamentos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.