Após chuvas de março, técnicos mandam "fechar" bairros de cidade do Paraná

Antonina foi um dos municípios mais afetados pelas tempestades. Segundo especialistas do governo, áreas não podem mais receber moradores

Luciana Cristo, iG Paraná |

Divulgação/Governo do Paraná
Casa destruídas pelas chuvas em Antonina, no litoral do Paraná
Trechos de cinco bairros do município de Antonina, no litoral do Paraná, precisam ser interditados de forma permanente. Na prática, ninguém mais pode viver ali. A recomendação consta no relatório final de técnicos do Serviço Geológico do Paraná, a Mineropar, responsáveis pelo serviço.

Desde que ocorreram os desabamentos de terra no mês de março – quando fortes chuvas atingiram a região e provocaram três mortes e fechamento dwe estradas – casas localizadas perto de algumas encostas já estavam interditadas, sob risco de novos desmoronamentos. Especificamente em Antonina foram duas mortes, nos bairros de Laranjeiras e Caixa d´Água.

Além dessas duas localidades, que foram as mais atingidas na cidade, os geólogos apontam para o perigo de se manter pessoas morando em partes das localidades Km 4, Beco da Viúva e Buraco da Onça, consideradas áreas de risco iminente.

Nesses lugares houve desmoronamento, mas não havia casas construídas no morro, provocando menos perdas. O relatório técnico da Mineropar aponta ainda que ocorreram 58 deslizamentos no perímetro urbano da cidade devido às chuvas de março.

Destino das famílias

Após passar mais de um mês em abrigos improvisados, em igrejas e escolas, as famílias desabrigadas foram levadas para uma área próxima do centro, pela prefeitura. “O número de famílias muda muito, porque as pessoas também encontram alternativas, alugam casas, vão para a casa de parentes, por preferir ficar no seu canto, com mais conforto e privacidade”, diz o prefeito de Antonina, Carlos Augusto Machado.

Agora, a necessidade é de construção de 88 novas casas, de acordo com levantamento municipal, para que a situação possa voltar à normalidade. Estima-se que, para isso, o valor chegue próximo de R$ 4,5 milhões, que virão de repasse do governo federal.

O valor de cada casa é calculado em R$ 51 mil, de acordo com o prefeito de Antonina. “Vamos construir sobrados no bairro Batel para realocar os moradores. O dinheiro já está empenhado e falta chegar ao governo estadual, que vai intermediar esse acordo”, explica o prefeito.

Para os quatro municípios do litoral do Paraná atingidos pelas chuvas de março, o governo federal empenhou R$ 25 milhões, dos quais R$ 9,3 milhões vão para Antonina. Mais de R$ 1,2 milhão serão destinados à reconstrução da rodovia PR-340, que liga Antonina a Morretes, outra cidade histórica da região.

    Leia tudo sobre: ChuvasParanáAntoninaParanaguáMorretes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG