Após dois dias, presos liberam reféns e encerram rebelião no Paraná

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Motim em prisão de Maringá começou na segunda-feira (29); demandas dos detentos estão sendo analisados pelo governo

Agência Brasil

A rebelião na Casa de Custódia de Maringá, no noroeste do Paraná, terminou por volta das 12h30 desta quarta-feira (31) após os dois últimos agentes penitenciários, mantidos como reféns, serem liberados, informou a Secretaria de Segurança Pública. Três detentos foram levados para um hospital da cidade com escoriações. Os reféns fizeram exames e passam bem, conforme a secretaria.

Presos rebelados libertam mais um refém em presídio do Paraná

Presos rebelados mantêm agentes como reféns em presídio no Paraná

A rebelião começou por volta das 15h de segunda-feira (29). Segundo a secretaria, um grupo de detentos de uma das alas da Casa de Custódia rendeu os sete agentes penitenciários quando voltavam às celas, após o retorno do banho de sol.

Conforme a secretaria, os presos exigiam o fim do uso de algemas, durante transferências, e melhorias na assessoria jurídica, assistência médica e alimentação. Essas demandas estão sendo analisadas pelo governo.

Alguns presos também pediram transferência para outros presídios, mas a solicitação esbarra em uma resolução do governo paranaense que proíbe a negociação de transferências de presos rebelados para outras unidades penais.

A Tropa de Choque da Polícia Militar (PM) agora inspeciona a situação no interior do estabelecimento prisional e realoca os presos nas celas. Com capacidade para 650 detentos, o local mantém 636 pessoas.

Leia tudo sobre: paranápresídiorebelião

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas