Presos rebelados mantêm agentes como reféns em presídio no Paraná

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Presos exigem o fim das algemas nas movimentações internas, melhorias na assessoria jurídica, na assistência médica e na alimentação; motim começou às 15h de segunda-feira (29)

Agência Brasil

Cinco agentes penitenciários são mantidos como reféns em uma rebelião que já dura mais de 26 horas na Casa de Custódia de Maringá, no norte do Paraná. O motim começou por volta das 15h de ontem (29), quando um grupo de presos de uma das alas, após o retorno do banho de sol, rendeu os funcionários, segundo informou a Secretaria de Segurança Pública.

Dois presos são decapitados durante rebelião em presídio do Paraná

Os presos rebelados fizeram sete agentes penitenciários reféns, dois deles foram liberados no fim da tarde dessa segunda-feira e na madrugada de hoje (30). Conforme a secretaria, os presos exigem o fim do uso de algemas nas movimentações internas, melhorias na assessoria jurídica, na assistência médica e na alimentação.

As negociações com os rebelados são conduzidas pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar (PM). A secretaria não divulgou informações sobre o estado de saúde dos reféns. A rebelião ocorre em uma das alas do presídio e envolve cerca de 100 presos. A Casa de Custódia de Maringá tem capacidade para 650 detentos e abriga atualmente 636 presos,

Leia tudo sobre: MaringáParanárebeliãopresos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas