Rebelião em penitenciária de Cascavel dura mais de 24 h no Paraná

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Presos pedem melhores condições de estrutura, alimentação e higiene; muitos estão feridos, e três foram levados para hospital

A rebelião na Penitenciária Estadual de Cascavel (PEC), no oeste do Paraná, já dura mais de 24h. Até o momento quatro presos morremram, dois foram decaptados, enquanto outros dois foram jogados do telhado da prisão. Dois agentes penitenciários ainda são mantidos reféns.

Vídeo mostra momento de tensão:


Na manhã desta segunda-feira as negóciações foram retomadas. Os detentos estão rebelados desde as 6h30 de domingo (24). Os presos reclamam de más condições do presídio, da alimentação que recebem e da higiene local; há também queixa contra uma suposta agressividade dos agentes. Mas a polícia não descartou a possibilidade de o motim ter sido motivado por uma briga entre facções rivais dentro da penitenciária.

As negociações continuaram durante toda a tarde e noite deste domingo, mas com poucos avanços. Para o advogado do Sindicato que representa os agentes penitenciários, Jairo Ferreira Filho, o número de mortos ou feridos ainda deve aumentar.

De acordo com a Secretaria de Justiça, 145 presos que corriam risco de morrer já foram transferidos para outros estabelecimentos prisionais do estado. Um levantamento preciso dos estragos na unidade só será feito após os agentes serem libertados e a rebelião encerrada, mas a secretaria estadual confirma que boa parte da penitenciária de Cascavel foi danificada, pois os presos quebraram telhas, queimaram colchões e danificaram celas.

Reprodução TV
Penitenciária Estadual de Cascavel, no Paraná, enfrenta rebelião


Imagens veiculadas por vários órgãos de imprensa mostram detentos exibindo faixas e cartazes com o nome de uma organização criminosa presente em várias regiões do país. A assessoria da Secretaria de Justiça informou que não poderia confirmar se há lideranças da facção presas na unidade ou entre os presos já transferidos.

Com capacidade para 1.116 presos, a penitenciária de Cascavel mantinha 1.038 detentos no momento em que a rebelião foi deflagrada.

Na última segunda (18), outra penitenciária do Paraná, a de Foz do Iguaçu, já havia sido palco para um princípio de motim. Na ocasião, um agente penitenciário foi feito refém, mas ninguém ficou ferido.

Leia tudo sobre: rebeliãoparaná

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas