Quatro presos morreram ao longo das mais de 24h da rebelião ocorrida na Penitenciária de Cascavel; dois foram decapitados

Agência Brasil

Presos rebelados e autoridades do Paraná chegaram a um acordo para o fim da rebelião na Penitenciária Estadual de Cascavel, informou a Secretaria Estadual de Justiça, no final da tarde desta segunda-feira (25).

De acordo com a secretaria, os dois agentes penitenciários mantidos reféns devem ser liberados após cerca de 600 presos serem transferidos para outras unidades prisionais do Estado. O motim teve início na manhã de domingo (24) e, segundo as informações, ao menos quatro presos foram mortos – dois deles, degolados.

Leia mais:
Dois presos são decapitados durante rebelião em presídio do Paraná
Rebelião em penitenciária de Cascavel dura mais de 24 h no Paraná

Um levantamento dos estragos na unidade só será feito após os agentes serem libertados e a rebelião, encerrada, mas, de acordo com a secretaria, boa parte da penitenciária de Cascavel foi danificada, pois os presos quebraram telhas, queimaram colchões e danificaram celas.

Presos durante motim iniciado na manhã de domingo na Penitenciária Estadual de Cascavel
Reprodução TV
Presos durante motim iniciado na manhã de domingo na Penitenciária Estadual de Cascavel

Parentes dos presos rebelados chegaram a bloquear o tráfego de veículos na Rodovia BR-277, que dá acesso ao presídio. O grupo se queixa da falta de informações a respeito de parentes e amigos que cumprem pena na unidade.

A Penitenciária de Cascavel tem capacidade para 1.116 presos e mantinha 1.038 detentos no momento em que a rebelião foi deflagrada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.