Motoristas estão sendo impedidos de sair das garagens. Veículos particulares poderão cobrar até R$ 6, segundo Urbs

A cidade de Curitiba amanheceu sem ônibus nesta sexta-feira (26) por causa da greve dos cobradores que entra no segundo dia. De acordo com informações do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), os motoristas estão sendo impedidos de sair das garagens devido a ausência dos cobradores.

Por volta das 10h30, a Justiça determinou que o Sindimoc e o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano e Metropolitano de Passageiros de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) coloquem em circulação 100% da frota, com 50% de cobradores em ônibus, estações-tubo e terminais com máxima urgência.

Mais:  Sem adesão de motoristas, cobradores de ônibus entram em greve em Curitiba

Terminal do Capão da Imbuia vazio na manhã desta sexta-feira (27, em Curitiba
Futura Press
Terminal do Capão da Imbuia vazio na manhã desta sexta-feira (27, em Curitiba

Ainda segundo o sindicato, apesar da greve as linhas São José dos Pinhais, Campo Largo e Piraquara estão funcionando. Segundo a Urbs, responsável pelo gerenciamento do transporte público da cidade, às 6h foi aberto o cadastramento dos transportes particulares. Os cadastros estão sendo feitos na área de vistoria do transporte coletivo, no bloco ferroviário da rodoviária. Os carros são vistoriados por mecânicos da Urbs e podem cobrar, no máximo, R$ 6,00 por pessoa.

De acordo com o Sindimoc, os cobradores reivindicam a instalação de banheiros químicos nas estações-tudo da cidade, além de serem contra a cobrança das empresas quando são vítimas de roubos. Outra reclamação da categoria é em relação ao calor dentro das estações-tubo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.