Sobe para 130 o número de cidades em situação de emergência no Paraná

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo Defesa Civil, nove pessoas morreram, 30 ficaram feridas e seis desapareceram por causa das chuvas no Estado

Agência Brasil

O número de cidades em situação de emergência no Paraná aumentou para 130, informa o último boletim divulgado pela Defesa Civil do estado – até as 10h de hoje (10), eram 79 municípios. Há 438.880 pessoas afetadas pelas chuvas no estado. Segundo a Defesa Civil, nove pessoas morreram, 30 ficaram feridas e seis desapareceram.

Mais: Sobe para mais de 7 mil o número de desalojados por causa das chuvas no PR

Ponte do rio Ivaí afetada pelas enchentes dos últimos dias no Paraná. Foto: DivugaçãoVaca foi encontrada nesta segunda-feira (09), após nível diminuir o nível das águas. Foto: Lindomar Pereira/ Portal QuedasVaca foi encontrada nesta segunda-feira (09), após nível diminuir o nível das águas. Foto: Lindomar Pereira/ Portal QuedasVaca foi encontrada nesta segunda-feira (09), após nível diminuir o nível das águas. Foto: Lindomar Pereira/ Portal QuedasTemporais deixaram pelo menos nove mortos no Paraná. Foto: DivulgaçãoPor causa das chuvas, abastecimento foi afetado em diversas regiões do Paraná. Foto: DivulgaçãoAlagamento em Guarapuava, uma das cidade que decretaram estado de emergência no Paraná. Foto: DivulgaçãoEnxurradas deixaram milhares de desabrigados no Estado do Paraná. Foto: Divulgação

De acordo com planilha de ocorrência, o município com o maior número de afetados é Cascavel, com 150.050 atingidos. Em São Mateus do Sul, 800 foram desabrigados por alagamento, o maior número do estado. A planilha mostra que essas 800 pessoas permanecem em abrigos.

A capital, Curitiba, tem 16.804 afetados pelas chuvas intensas e 480 desalojados. No total, foram 3.509 residências danificadas.

Leia também: Vaca arrastada por enchente fica presa em árvore no Paraná

A Defesa Civil, que trabalha nesta tarde, com a entrega de donativos, informou que o município de União da Vitória, no extremo sul do estado, corre o risco de ser enquadrado como calamidade pública. São 8 mil pessoas afetadas. A cidade fica à beira do Rio Iguaçu. A prefeitura pediu uma análise do comprometimento do município, para saber o que foi afetado em relação ao Produto Interno Bruto (PIB). A análise também está sendo feita na tarde de hoje.

Hoje (10), o Ministério da Integração Nacional liberou R$ 140 mil para o estado. Segundo a assessoria da pasta,os recursos serão destinados à compra de cestas de alimentos. Novas solicitações devem ser feitas, serão avaliadas e liberadas posteriormente.

De acordo com o Instituto Tecnológico Simepar, não haverá chuvas significativas no estado até quinta-feira (12). A frente fria, que estava estagnada principalmente na região dos Campos Gerais, a mais prejudicada pelos altos níveis de chuva desde a última quinta-feira (5), começou a avançar para o oceano, em direção a São Paulo, na madrugada de segunda-feira (9), o que afasta o risco de novas enchentes.

De acordo com o Simepar, a tempestade que provocou sérios estragos foi um evento muito intenso, recorde no Paraná desde 1997.


Leia tudo sobre: paranásituação de emergênciachuvas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas