Pousada Sankay, no Rio, não tinha licença ambiental

A Pousada Sankay, na Praia do Bananal, onde estavam 3 dos 31 mortos na tragédia do dia 1º, não tinha licença ambiental para funcionar, afirmou na terça-feira o superintendente regional do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) na Baía da Ilha Grande, Júlio Avelar. Isso significa que, sob o ponto de vista ambiental, a situação da pousada era irregular.

Agência Estado |

  • Veja lista das vítimas que já foram identificadas
  • Veja as imagens do deslizamento em Ilha Grande
  • Assista aos vídeos sobre a tragédia em Angra dos Reis
  • Saiba mais sobre as vítimas

    Uma estimativa apresentada pelo Inea indica que menos de 10% das construções em Ilha Grande têm licenciamento ambiental. "Segundo informações da prefeitura, a Sankay também não teve alvará para a construção. Foi construída de maneira irregular. Depois, recebeu um alvará de operação", disse Avelar.

    Procurada, a assessoria de imprensa da prefeitura forneceu o telefone do procurador-geral do município, André Gomes Pereira, que poderia comentar a situação, mas ele não foi localizado. Mesmo com os dois alvarás, a licença ambiental seria necessária.

    Bruno Domingos/Reuters
    Pousada Sankay após deslizamento de terra

    Pousada Sankay após deslizamento de terra


    De acordo com o Inea, a pousada surgiu a partir da reforma de uma antiga casa de pescadores, em 1992. É, portanto, anterior ao Plano Diretor que instituiu, em 1994, o zoneamento da Área de Proteção Ambiental (APA) de Tamoios (decreto nº 20.172). A partir daí, ficou proibida a construção na região costeira. A APA Tamoios abrange as 93 ilhas da baía.

    Avelar ressalvou que a Sankay poderia ter eventualmente obtido a licença, caso tivesse seguido todos os trâmites necessários, e que isso não teria evitado a tragédia. Ele também reconheceu que falta fiscalização na ilha para exigir a licença. A partir desta quarta-feira, o Inea e a Defesa Civil vão começar a identificar construções em áreas de risco em Ilha Grande. O objetivo é demolir os imóveis, caso haja risco de desabamento.

    Os responsáveis pela Sankay não foram localizados ontem. Os donos, Geraldo e Sônia, perderam a filha na tragédia. Eles divulgaram no site da pousada uma mensagem aos clientes e amigos. "Informamos que as atividades da Pousada Sankay estão suspensas por tempo indeterminado e que ressarciremos os valores depositados a todos aqueles com reservas feitas e pagas antecipadamente."

    Leia também:


    Leia mais sobre: chuvas  - Angra dos Reis

    • Leia tudo sobre: angra dos reischuvachuvas

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG