Postura de presidenciável de Ciro na TV pressiona PT-SP

BRASÍLIA (Reuters) - O programa de televisão do PSB em que o deputado Ciro Gomes (PSB) se colocou como potencial candidato à Presidência da República colocou nesta sexta-feira mais pressão sobre os potenciais candidatos do PT ao governo de São Paulo. Na véspera, Ciro criticou a polarização entre PT e PSDB na disputa pela sucessão presidencial deste ano e se colocou para o eleitor como uma espécie de candidato da terceira via.

Reuters |

Nesta sexta, o senador Aloizio Mercadante (SP), líder do PT no Senado, e a ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy divergiram sobre os rumos do partido no Estado.

Ciro tem reiterado que pretende disputar a Presidência, mas transferiu seu domicílio eleitoral do Ceará para São Paulo a pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que gostaria de ver o deputado na corrida pelo Palácio dos Bandeirantes em uma chapa com o apoio do PT e de outras forças aliadas.

"O presidente (Lula) já tornou claro o convite ao Mercadante. Vamos depender dele. É uma decisão difícil para ele e temos que respeitar a decisão que ele virá a tomar," afirmou a jornalistas a ex-prefeita em intervalo do 4 Congresso Nacional do PT.

"Vou para deputada, para o Senado, para o governo, vou para onde, a partir da decisão do partido, eu possa agregar mais votos para a Dilma (Dilma Rousseff, ministra da Casa Civil e pré-candidata do PT ao Palácio do Planalto," acrescentou Marta Suplicy.

Mercadante, no entanto, reafirmou a sua disposição de tentar a reeleição.

"Já assumi a candidatura ao Senado," disse, ponderando que qualquer decisão do partido sobre o candidato ao governo de São Paulo deve ser tomada em março.

Mercadante destacou que Ciro Gomes terá o apoio do PT se decidir disputar o governo paulista. O outro potencial candidato do PSB ao governo local, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, entretanto, pode enfrentar dificuldades no PT.

"O Skaf é uma coisa, o Ciro Gomes é outra," resumiu a ex-prefeita de São Paulo.

(Por Fernando Exman)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG