Posse de Paulo Renato em secretaria vira ato político pró-Serra

SÃO PAULO (Reuters) - A posse do ex-ministro e deputado Paulo Renato Souza (PSDB-SP) na secretaria de Educação de São Paulo foi palco nesta segunda-feira de ato político em torno do governador tucano José Serra, potencial candidato à sucessão presidencial. Na presença de deputados federais e estaduais, vereadores, prefeitos, secretários estaduais e municipais e também dos presidentes do PSDB e de seu aliado DEM, Paulo Renato disse que cumprirá um compromisso partidário no novo posto, enquanto Serra agradeceu ter podido encontrar os amigos.

Reuters |

A posse contou com a presença de cerca de 200 pessoas e lotou o salão de eventos do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

"Não foi só pela minha posse que eles vieram a São Paulo. Certamente o governador tem algo a ver com isso", admitiu Paulo Renato quando questionado sobre o grande número de políticos presentes.

Para Serra, foi "um dia bom para encontrar amigos e pela representatividade política que eles têm".

Paulo Renato usou parte do discurso para defender uma troca na gestão do país.

"Sou daqueles brasileiros que ardentemente clamam por uma mudança de rumo em nosso país. Mudança para elevar o padrão ético e republicano da nossa vida pública", disse Paulo Renato em discurso, depois de criticar o governo Lula. Apontou loteamento de cargos, aparelhamento do Estado e constrangimento a adversários pelo uso do poder de polícia.

Ele é o terceiro a ocupar a pasta da Educação na gestão Serra. O novo secretário, atual deputado federal pelo PSDB, foi ministro da Educação durante os oito anos do governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) e é responsável pela criação em sua gestão de mecanismos de avaliação do ensino como o Enem e o Provão.

Ele substitui a socióloga Maria Helena Guimarães de Castro, que deixou o posto em meio ao episódio em que livros didáticos enviados às escolas estaduais continham erros de geografia.

"Temos uma aposta na administração do Paulo Renato, ele vai dar uma boa ajuda ao governo de São Paulo, o que é importante para os tucanos do Brasil inteiro", disse a jornalistas Sérgio Guerra, presidente do PSDB, ao justificar sua presença na posse evento.

Este é o segundo lance político de Serra junto a seu secretariado. Em janeiro, ele empossou na secretaria de Desenvolvimento, uma das mais estratégicas de sua gestão, o ex-governador paulista Geraldo Alckmin, em um gesto de aproximação com quem teve disputas internas no partido.

Já Paulo Renato perdeu para o deputado José Aníbal (SP) a disputa pela liderança do partido na Câmara dos Deputados em fevereiro. Após a derrota ele e outros parlamentares fizeram um movimento para destituir Aníbal, que ainda assim permaneceu à frente da bancada.

(Reportagem de Carmen Munari)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG