Portaria inclui no SUS serviços de genética clínica

Foi publicada no Diário Oficial portaria que institui no Sistema Único de Saúde (SUS) a Política Nacional de Atenção Integral em Genética Clínica. O objetivo é organizar e ampliar os serviços na rede pública para dar acesso a aconselhamento genético, exames de diagnóstico e tratamento com foco em três grupos de doenças: anomalias congênitas, erros inatos do metabolismo e deficiência mental de causa genética.

Agência Estado |

Em fevereiro deve ser publicada portaria para regulamentar a implantação da política.

O presidente da Sociedade Brasileira de Genética Médica (SBGM), Salmo Raskin, acredita que a genérica se tornará uma grande ferramenta de saúde pública no País. "Considero esta data um grande marco na história da Genética Médica brasileira. A genética médica será popularizada e vai melhorar a qualidade de vida do cidadão brasileiro que depende do SUS", afirma o médico.

Segundo informações da entidade, nos hospitais de referências - como os hospitais escolas - as anomalias congênitas representam mais de 50% das admissões pediátricas, impactando principalmente, na morbidade e mortalidade. Cerca de 5% dos nascidos vivos apresentam alguma anomalia em seu desenvolvimento ocasionada por fatores genéticos como deficiência mental, física, auditiva e visual; doenças metabólicas; doenças degenerativas; defeitos congênitos e câncer.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG