Por trilha, chega-se ao topo em seis dias

Por trilha, chega-se ao topo em seis dias Por Paulo Liebert* Santa Elena de Uiarén (RR), 21 (AE) - A trilha para quem quer alcançar o topo do Monte Roraima por terra é dura. A caminhada de seis dias, entre ida e volta, feita pelo lado venezuelano, se destina aos que têm bom preparo físico e não se importam em dormir em barracas.

Agência Estado |

O conforto fica em segundo plano para que o aventureiro consiga contato integral com a natureza.

Se você pretende encarar a aventura, deve contratar uma agência especializada, que tratará de toda a logística para a caminhada. É preciso seguir por 214 quilômetros em estrada asfaltada de Boa Vista até Santa Elena de Uiarén, na Venezuela, ponto de partida dos grupos de trekking.

Em dois dias se atravessa a Grande Savana em terras indígenas até o topo do Roraima - será preciso fôlego para encarar os 870 metros de desnível. A altitude e o vento fazem a temperatura baixar, por isso, esteja preparado.

Geralmente as barracas são montadas nos chamados "hotéis", abrigos naturais (como grutas, por exemplo), que protegem da chuva e do vento. A comida é simples e o banho, de rio. Pode-se passar duas noites explorando o topo, repleto de orquídeas e bromélias, até o início da descida.

Para evitar o período das chuvas, quando o trajeto fica mais escorregadio, o melhor é viajar entre outubro e abril. No entanto, de maio a setembro, as cachoeiras estão com um volume maior de água.

Chegar ao Roraima a pé tem outro sabor, garante quem já fez. Além de ser um desafio, a empreitada ganha ares de busca interior, por causa do tempo disponível para contemplar a natureza e deixar a imaginação voar.

*O repórter viajou a convite do Sebrae

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG