Por telefone, soldado se despediu do pai dois dias antes do terremoto no Haiti

Dois dias antes do terremoto de sete graus na escala Ritcher atingir o Haiti e matar ao menos 14 militares brasileiros, o soldado Antônio José Anacleto, de 24 anos, falou por longas horas com o pai, José Anacleto, por telefone. A conversa foi interpretada por José como uma despedida prévia.

Bruno Rico, iG São Paulo |


De acordo com a tia Alice Anacleto Nascimento, o soldado Antônio voltaria para sua cidade natal, Cachoeira Paulista, nesta semana. O terremoto pegou a família de surpresa. Antônio estava feliz com o trabalho no Haiti, mas sentia saudades da família e queria voltar. Sua intenção era dar sequência aos serviços no exército no Brasil.

Junto com o irmão ¿ que também está no exército - e com as duas irmãs, morava com o pai em Cachoeira Paulista desde que nasceram. De acordo com a tia Alice, a família é muito unida e os filhos estão ajudando o pai a se conformar. Estão todos abalados. [O acidente] pegou a família de surpresa.

Nesta quarta-feira, jornalistas tentaram conversar com o pai, mas ele se recusou. Estava chorando muito. Estava com pressão alta. Inclusive, uma enfermeira foi cuidar dele. Nesta quinta-feira, falou com Alice e contou do telefonema que, para ele, significou o último contato com o filho.

Veja abaixo os nomes dos 14 militares mortos:

Leia também:

Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: haititerremoto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG