O DEM do Rio de Janeiro decidiu dar um ultimato ao PV de Fernando Gabeira. Se Cesar Maia não for candidato ao Senado pela coligação - que inclui PSDB e PPS -, o partido lançará candidato próprio ao governo.

O nome para o "sacrifício" já foi escolhido: o vereador carioca Eider Dantas, líder do DEM na Câmara Municipal. Sem o DEM, a aliança de oposição a Sergio Cabral (PMDB) perderia valiosos 4,5 minutos de TV.

O principal foco de resistência a Cesar Maia no PV é o vereador Alfredo Sirkis, coordenador da pré-campanha de Marina Silva e adversário histórico do ex-prefeito. Partiu dele a articulação para que os verdes lancem a vereadora Aspásia Camargo (PV) ao Senado. "A candidatura da Aspásia é importante para ajudar na campanha de Marina Silva, já que os outros partidos da coligação apoiam o Serra. A aliança com o DEM é para o governo. O Senado é outra disputa", diz Sirkis.

Fernando Gabeira, que não se opõe a Cesar Maia, afirma que não existe crise com o DEM. "Eles devem estar encontrando dificuldades para encontrar parceiros para formar uma aliança para as eleições proporcionais. De qualquer forma, a coligação definiu que uma vaga ao Senado é do DEM e a outra do PPS". O PV fez uma consulta ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para saber se é possível lançar três candidatos ao Senado na mesma coligação. O resultado deve sair dia 5. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.