Região Sul, que desce o Censo de 1970 vinha apresentando um crescimento anual baixo, também foi a que menos cresceu

Com 1.409.351 habitantes, Porto Alegre foi a capital brasileira que registrou o menor crescimento populacional nos últimos dez anos. No mesmo ritmo, o Rio Grande do Sul foi o Estado onde a população cresceu menos entre todas as unidades da Federação. 

As informações são da Sinopse do Censo Demográfico 2010, divulgada nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o levantamento, o crescimento da população brasileira ocorreu de forma diferenciada entre as regiões. A região Sul, que desde o Censo Demográfico de 1970 vinha apresentando um crescimento anual de aproximadamente 1,4%, foi a que menos cresceu na última década, resultado que teve influência da baixa taxa no Rio Grande do Sul e no Paraná. 

Entre 2001 e 2010, o Rio Grande do Sul teve uma taxa de crescimento de 0,49%, a menor do País. O IBGE contabilizou pouco mais de 500 mil novos moradores no Estado, que conta com uma população total de 10.693.929 habitantes. 

A capital gaúcha também foi a que teve o menor crescimento da população nos últimos dez anos. A população residente em Porto Alegre cresceu 0,35% no período, sendo hoje de 1.409.351 pessoas.

A comparação com Recife mostra o baixo ritmo de crescimento da população de Porto Alegre. Em 2001, a população das duas cidades era parecida – 1,42 milhão em Recife, 1,36 milhão em Porto Alegre. Na última década, porém, os moradores de Recife aumentaram em 0,78% e a capital pernambucana chegou a mais de 1,5 milhão de habitantes. 

No Rio Grande do Sul, a população dos municípios do interior cresceu mais do que na capital. A taxa de crescimento no interior gaúcho foi de 0,51%. As cidades mais populosas do interior do Estado são Caxias do Sul (435 mil), Pelotas (328 mil) e Canoas (323 mil).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.