População diz que crise não muda hábito de consumo, indica Ibope

BRASÍLIA, 9 de junho - O impacto da crise financeira sobre a economia brasileira não altera o hábito de consumo da maior parcela da população, mostrou pesquisa Ibope encomendada Confederação Nacional da Indústria e divulgada nesta terça-feira. A sondagem indica que subiu para 53 por cento o número de pessoas que afirmaram que a crise não alterou nem vai alterar os hábitos de consumo, contra 45 por cento da pesquisa anterior, divulgada de março.

Reuters |

Também caiu para 16 por cento o universo daqueles que dizem que não alteraram seus hábitos, mas pretendem alterar. Na pesquisa anterior, este índice era de 21 por cento.

"Para mais da metade da população, a crise não representa mudança mo padrão de consumo", disse Marco Antonio Guarita, diretor da CNI.

A sondagem mediu o impacto de algumas das medidas anticíclicas anunciadas pelo governo de forma a reduzir os efeitos da crise financeira mundial no Brasil.

Para a maior parte dos entrevistados, a redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para compra de carros e eletrodomésticos da linha branca, além do programa federal de financiamento para compra de moradias, são extremamente positivos.

No geral, subiu em dez pontos percentuais o total de entrevistados (de 59 por cento para 69 por cento) que aprovam as ações tomadas pelo governo para enfrentar a crise.

O Ibope entrevistou 2.002 pessoas entre os dias 29 de maio de 1o de junho em 143 municípios. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais.

(Reportagem de Natuza Nery)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG