População brasileira vai ter crescimento zero em 2040, diz IBGE

BRASÍLIA - Segundo projeção do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) o Brasil atingirá uma taxa de crescimento populacional igual a zero no ano de 2040. Em 2050, o instituto projeta 215,3 milhões de habitantes no País e crescimento negativo em 0,29%.

Redação |

Acordo Ortográfico

O IBGE realizou um estudo redefinindo a trajetória da taxa de fecundidade das mulheres brasileiras. A revisão indicou que a população do Brasil cresce em ritmo cada vez menor. 

Em 2006, a taxa de fecundidade ficou em 1,99 filho por mulher, abaixo do índice necessário para a reposição de gerações (2 filhos por mulher) pela primeira vez. Este ano, a estimativa é de 1,86 filho por mulher.

Os levantamentos do IBGE indicam que desde 1960 a taxa de crescimento populacional no País tem caído. Se fosse mantido o ritmo de crescimento da década de 1950, a população brasileira contabilizaria, em 2008, 295 milhões de pessoas, e não os 189,6 milhões divulgados pelo IBGE.   

O envelhecimento da população é a principal consequência da queda da fecundidade. O relatório do instituto prevê que em 2050 haverão 172,7 idosos para cada 100 crianças entre 0 e 14 anos. Hoje, para 100 crianças existem 24,7 idosos de 65 anos ou mais.

O estudo também aponta queda na proporção entre população ativa, entre 15 e 64 anos de idade, e inativa, acima dos 65. Em 2000, havia 12 pessoas ativas para cada 1 inativo. Esta relação pode passar a ser de 3 para 1 em 2050. O sistema de previdência social é o mais afetado por esta mudança.  

Jovens entre 15 e 19 anos

Segundo o IBGE, a faixa etária das mulheres entre 15 e 19 anos será a única a apresentar aumento na fecundidade até 2020. A número de filhos entre as mulheres jovens (20 a 24 anos) parou de crescer em 2005. Entre 2020 e 2050, o estudo estima que as adolescentes vão responder por 24% do crescimento populacional.  

Cenário econômico favorável

Nos próximos anos, o Brasil atingirá o pico de pessoas aptas para ingressar no mercado de trabalho (entre 15 e 24 anos), 34 milhões. Este período de ascenção do número de pessoa em idade ativa é chamado de janela demográfica e favorece o crescimento econômico do País, de acordo com o IBGE.

Mais mulheres

Outro dado que chama a atenção no estudo é a estimativa de 7 milhões de mulheres a mais do que homens no País em 2050, devido a sobremortalidade masculina. Os homens são mais afetados pela violência. No ano de 2000, a população masculina entre 20 e 24 anos registrava 4 vezes mais mortes do a feminina na mesma faixa etária. O IBGE acredita que esse indicador tenha se elevado ao passar dos anos.

Leia mais sobre: população

    Leia tudo sobre: ibge

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG