Ponte cede no RS; número de desaparecidos é incerto

Uma ponte sobre o Rio Jacuí no km 191 na RSC-287, em Agudo, no Rio Grande do Sul, teve a sua estrutura danificada devido à correnteza e desabou na manhã desta terça-feira (5), por volta das 9 horas.

iG São Paulo |

Dez pessoas foram resgatadas com vida segundo informações do Corpo de Bombeiros de Agudo. Oito pessoas caíram perto da margem e foram retiradas do rio. Outras duas foram resgatadas pelas equipes de salvamento.


Ponte antes (Google Maps) e depois do desabamento (Lauro Alves/RBS)

O secretário de Saúde do Rio Grande do Sul, Osmar Terra, solicitou o envio de duas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) móveis que estavam em Santa Cruz do Sul para ajudar no atendimento às vítimas do desabamento. A governadora do Estado, Yeda Crusius (PSDB) irá visitar o local do acidente nesta terça-feira e prestar solidariedade às vítimas.

O comando da Brigada Militar (a polícia gaúcha) começou a coletar informações sobre desaparecidos com parentes e amigos, por isso os dados ainda são imprecisos - ao menos 20 pessoas estavam sobre a ponte.

Ainda de acordo com a polícia, devido à forte correnteza no local, nenhum corpo foi encontrado.

De acordo com informações iniciais, 100 metros da estrutura da ponte teriam desabado. O vice-prefeito de Agudo, Hilberto Boek, estaria no local e ainda não foi localizado, segundo informações preliminares.

Quatro helicópteros da corporação e da Força Aérea sobrevoam a região à procura das vítimas. Os bombeiros também utilizam botes para procurar por sobreviventes.

A ponte estava interditada para o tráfego de veículos desde a tarde de segunda-feira (4) em razão do transbordamento do Rio Jacuí. De acordo com os bombeiros, as pessoas estavam no local presenciando a forte correnteza do rio quando as águas, que traziam muitas árvores, destruíram a estrutura da ponte, que acabou cedendo.

Para quem segue da região de Santa Maria em direção a Porto Alegre, a Polícia Rodoviária Estadual indica utilizar a BR 392 até o acesso a BR 290, que segue para a capital.

Pontes interditadas

A Brigada Militar de Agudo (RS) decidiu interditar outras três pontes de pequeno porte na cidade devido ao aumento do nível de água do rio Jacuí.

"A correnteza está muito forte e há risco de que os pilares não aguentem", diz o presidente da Câmara Municipal, Paulo Roberto Unfer.

Segundo ele, a cidade está praticamente ilhada. "Talvez haja um caminho por Cachoeira do Sul, mas as estradas estão todas bloqueadas", relata.

Unfer afirma que, além da queda da ponte sobre o Jacuí, dezenas de casas estão alagadas. "Tem muita enchente, muita casa alagada. Os maiores prejuízos foram nas lavouras de arroz."

De acordo com ele, entre 15 e 20 pessoas estavam na cabeceira da ponte observando a enchente quando a ponte caiu. "Tinha muitos lavradores olhando para ver se o rio estava baixando."

Pelos relatos ouvidos, Unfer acredita que o problema ocorreu em um dos pilares. "A água não estava passando por cima. Pelo que me disseram, a ponte foi descendo devagar, aos poucos. Não foi de uma vez. Acredito que os pilares devem ter sido corroídos pelo tempo. A ponte tem mais de 45 anos, foi construída pelo (Leonel) Brizola (ex-governador do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro)."

Unfer diz ter esperança que os desaparecidos, entre eles o vice-prefeito Hilberto Boeck, sejam encontrados com vida. "Tinha muito mato embaixo do lugar onde eles estavam. Podem ter se agarrado a uma árvore ou se deixado levar pela correnteza."

Veja a localização de Agudo no mapa abaixo :

Visualizar Agudo - RS em um mapa maior

*Com informações de Ricardo Galhardo e Marina Morena Costa, iG São Paulo, Agência Estado e Agência Brasil

    Leia tudo sobre: acidentechuvachuvasenchente

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG