Poluição forma mancha de 400m de espuma no Rio Tietê

SÃO PAULO - Uma mancha de espuma apareceu no Rio Tietê, na capital paulista, na manhã de hoje na altura da Ponte Aricanduva, na zona leste da cidade. Segundo técnicos da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), a espuma começou a se formar no desnível existente no ponto de cruzamento em que o Rio Aricanduva deságua no Rio Tietê, e se estende por cerca de 400 metros pelo rio.

Agência Estado |

A espuma foi produzida pela presença de detergentes nas águas do rio e seus afluentes, no trecho poluído da bacia que corta a Região Metropolitana de São Paulo, basicamente originados do uso doméstico, segundo a Cetesb.

AE
Mancha apareceu na manhã desta terça-feira em São Paulo


A formação de espumas aumenta nos períodos de alta temperatura e com a consequente diminuição de vazão das águas do rio, que aumentam a concentração dos surfactantes nas águas. De acordo com a Cetesb, a tendência dessa mancha é se dispersar à medida que avançar pelo Rio Tietê.

Segundo a Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), a espuma foi causada por detergentes domésticos, como os usados para lavar louças e carros. Mesmo aqueles que são biodegradáveis precisam de oxigênio para se decompor na natureza. Como o Rio Tietê não tem oxigênio, ocorre a formação de espuma.

Leia mais sobre: rio Tietê

    Leia tudo sobre: poluiçãorio tietê

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG