Poltrona e número de série encontrados são da Air France--fonte

Por Fernando Exman RECIFE (Reuters) - A Força Aérea Brasileira (FAB) e a Marinha obtiveram no sábado mais indícios e provas de que os destroços encontrados no oceano Atlântico pertencem ao Airbus da Air France que desapareceu no domingo passado depois de decolar do Rio de Janeiro rumo a Paris com 228 pessoas a bordo.

Reuters |

Segundo uma fonte envolvida nas operações de buscas, uma das poltronas recolhidas do mar continha uma marca da companhia aérea francesa.

"Um dos assentos localizados tinha uma inscrição com uma marca da Air France", afirmou a fonte à Reuters sob a condição do anonimato.

Além disso, a companhia aérea comunicou à Aeronáutica que o número de série da primeira poltrona azul localizada e colhida é de um assento de uma de suas aeronaves.

"A Air France confirmou para a gente que aquele número de série era de uma poltrona usada em um Airbus A330, mas eles não puderam dizer se era do voo 447 porque eles não fazem o controle por número de série de cada assento de cada avião", explicou a fonte.

Procurada neste domingo, a assessoria de imprensa da Air France informou que não poderia se pronunciar sobre o tema devido às restrições que a legislação francesa impõe para a divulgação de dados sobre a investigação de acidentes aéreos.

Os porta-vozes da Aeronáutica e da Marinha informaram no sábado que as equipes de busca recolheram do mar, além de dois corpos do sexo masculino, assentos, pedaços da asa do avião, máscaras de oxigênio, uma mochila com cartão de vacinação e uma pasta de couro com um bilhete da Air France.

Uma das malas continha um laptop. Isso foi encontrado a 69,5 quilômetros de onde o avião da Air France emitiu automaticamente o último sinal de problemas técnicos.

De acordo com a fonte, mais materiais foram resgatados do mar e até a noite de sábado ainda estavam sendo catalogados. Um desses itens era uma tela de LCD semelhante às que são instaladas em aviões. As buscas continuam neste domingo.

Os corpos e os materiais recolhidos foram encontrados a cerca de 900 quilômetros de Fernando de Noronha, aonde chegarão no domingo para a identificação inicial. Depois, deverão ser transferidos para o Recife.

Na sexta-feira, agentes da Polícia Federal recolheram material de parentes das vítimas do acidente com o voo AF 447 hospedados em hotel no Rio de Janeiro para a realização de exames de DNA que poderão identificar os corpos.

O voo AF 447 tinha 216 passageiros de 32 nacionalidades, incluindo sete crianças e um bebê. Segundo a Air France, 61 eram franceses, 58 brasileiros e 26 alemães. Dos 12 tripulantes, um era brasileiro e os demais franceses.

(Edição de Eduardo Simões)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG