anúncio da desistência do governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), de disputar a presidência da república nas eleições de 2010 movimentou o meio político. Leia algumas opiniões sobre a desistência do governador:" / anúncio da desistência do governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), de disputar a presidência da república nas eleições de 2010 movimentou o meio político. Leia algumas opiniões sobre a desistência do governador:" /

Políticos comentam decisão de Aécio Neves

O http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2009/12/17/aecio+desiste+de+concorrer+a+presidencia+da+republica+nas+eleicoes+de+2010+9248761.htmlanúncio da desistência do governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), de disputar a presidência da república nas eleições de 2010 movimentou o meio político. Leia algumas opiniões sobre a desistência do governador:

iG Brasília |


Fernando Henrique Cardoso

O gesto do Governador Aécio Neves demonstra generosa compreensão do momento político. Não só Minas, mas todo o Brasil vê no governador qualidades de liderança que o credenciam a assumir as mais altas responsabilidades da República. Sua disposição para colaborar, com afinco e lealdade, com o PSDB para preparar o caminho que nos levará à vitória em 2010, fala mais forte do que qualquer outra consideração sobre nossas possibilidades de vitória. Minas é crucial para a construção de um Brasil melhor, e Aécio é um construtor do futuro".

Roberto Freire, presidente nacional do PPS

"Ele (Aécio) já tinha qualificado a disputa interna no PSDB e não lhe faltam méritos para ser presidente da República; mas com esse seu gesto (de abrir mão da candidatura) ele indicou, escolheu, pelo partido, o candidato do PSDB à Presidência, o que toma uma dimensão importante". Segundo Freire, o que "o Brasil oposicionista deve pensar, de agora em diante, é no papel que cabe a Aécio no processo sucessório; acho que dificilmente se encontrará um brasileiro de oposição, que quer renovar, mudar, que não pense na chapa Serra-Aécio".

Senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE)

O que é fundamental para o PSDB é a unidade. Se Aécio saiu por divergências e contrariado, o ato não tem nada de positivo. É preciso saber se ele é candidato ao Senado, se estará integrado à campanha de seu partido, para depois fazer a avaliação correta. De qualquer forma, fazer um anúncio que estava previsto para ser feito em janeiro, enquanto José Serra está em Copenhagen, não demonstra unidade.


Senador Aloizio Mercadante (PT-SP)

 A oposição está encurralada politicamente como nós estávamos em 1994 com o Plano Real, mas, hoje, por um governo que tem dois terços de aprovação popular. Alguns setores que estavam esperando essa definição, já podem, agora, fechar o apoio à candidatura da Dilma. O PT se fortalece porque a candidatura de Serra é a cara do governo Fernando Henrique Cardoso.

José Aníbal, líder do PSDB na Câmara

O Aécio, com a sua decisão, antecipa uma movimentação política e ressalva o compromisso com o partido para o grande desafio que é a eleição de 2010, o embate entre tucanos e petistas. 


Deputado Luiz Paulo Vellozo Lucas (PSDB-ES) , presidente do Instituto Teotônio Vilela

O fato é que teremos um processo de polarização. O governo está impondo isso e não é porque a gente quer, não. Mas o Aécio fez esta avaliação e temos que respeitar. Agora Serra é o nosso candidato, todo mundo sabe disso, e é importante tocarmos o calendário eleitoral de acordo com a nossa conveniência. Serra terá todo o tempo que for necessário.

    Leia tudo sobre: aécio neveseleições 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG