Política pública melhora renda dos mais pobres, mostra IBGE

Rio - O porcentual de famílias com rendimento per capita de até meio salário mínimo caiu de 31,6% do total das famílias em 1997 para 23,5% em 2007, segundo mostra a Síntese de Indicadores Sociais, divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Agência Estado |

Segundo os técnicos, levando-se em conta apenas o período de 2002 a 2007, no Nordeste, a queda no porcentual de famílias com essa renda per capita foi de pouco mais de 10 pontos percentuais (53,9% para 43,1%), "provavelmente resultado de políticas públicas dirigidas às famílias mais pobres".

A pesquisa mostra também que o valor médio mensal do rendimento familiar per capita em 2007 era R$ 624,00. Entretanto, metade das famílias vivia com menos de R$ 380,00 por mês, o valor do salário mínimo em 2007. Regionalmente, a distribuição de renda no País continua desigual: metade das famílias nordestinas viviam com até R$ 214,00, enquanto no Sudeste o rendimento mediano era de R$ 441,00.

Sozinhos

A proporção de pessoas que viviam sozinhas no Brasil aumentou de 8,3% da população em 1997 para 11,1% em 2007, segundo mostra a Síntese de Indicadores Sociais do IBGE. De acordo com a pesquisa, "essa é uma tendência que vem sendo verificada nos últimos anos, fruto da redução das taxas de mortalidade e do aumento da esperança de vida, especialmente para as mulheres". Houve um aumento significativo, também, no porcentual de casais sem filhos, que passou de 19,2% dos casais em 1997 para 22,1% em 2007.

    Leia tudo sobre: ibge

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG