Polícias Civil e Militar do Rio ganham manual de conduta

As polícias Civil e Militar do Rio irão adotar, pela primeira vez, um manual de procedimentos padronizados para ensinar, num total de 12 temas, técnicas de abordagem, preservação do local do crime, atendimento ao turista e à mulher. Até então, essas orientações eram adaptadas dos manuais das Forças Armadas e de normas de instrução, algumas delas datadas do período do regime militar.

Agência Estado |

"Os manuais antigos antecedem a Constituição de 1988 e eram muito objetivos. Estamos incorporando os princípios constitucionais e contextualizando-os em conjunto com a legislação de direitos humanos", disse a coordenadora do projeto do Instituto de Segurança Pública (ISP) do Rio, Roberta Corrêa.

Os 12 livretos, com cerca de cem páginas cada um, foram lançados hoje durante um seminário de reciclagem dos policiais no Hotel Novo Mundo, na Glória, zona sul do Rio. Os autores são policiais com formação teórica acadêmica na área. Alguns volumes foram escritos em parceria com antropólogos e cientistas sociais. A coleção começou a ser produzida em 2005, em parceria com a Secretaria Especial de Direitos Humanos do governo federal, e foi financiada pela Comunidade Européia.

"É um projeto antigo, que não foi iniciado por causa de nenhum caso de abuso policial específico", ressaltou a representante da Secretaria de Direitos Humanos, Isabel Figueiredo. "A idéia é que o policial conheça a técnica, que não muda, e também saiba adequá-la à legislação vigente, usando-a sempre de acordo com a lei", explicou o diretor de Ensino e Instrução da Polícia Militar, Mario Jorge Ferreira Fogaça.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG