Turistas vindos de São Paulo e Rio Grande do Sul foram asaltados em Jurerê Internacional, o mais luxuoso balneário da ilha

selo

A onda de assaltos, um deles terminado com a morte de um turista argentino, que se intensifica nos mais badalados balneários de Florianópolis fez a Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina aumentar o policiamento com agentes da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic). O reforço policial se deu após o assalto a um grupo de turistas vindos de São Paulo e Rio Grande do Sul, que alugaram uma casa para a temporada em Jurerê Internacional, o mais luxuoso e badalado balneário da ilha. O assalto ocorreu na noite de ontem. 

Os bandidos entraram pela garagem, amarraram com cadarços e sacos plásticos e agrediram violentamente as vítimas - incluindo crianças de 3 e 11 anos - para roubar uma caminhonete, aparelhos de TV e DVD, notebooks, joias e cerca de R$ 5 mil em dinheiro. "Durante quase duas horas, eles nos ameaçaram de morte, querendo dinheiro e joias. Depois de uma hora, eles trocaram as armas por facas", afirmou uma das vítimas, que preferiu não se identificar. 

A caminhonete foi encontrada pela polícia depois no bairro Saco dos Limões, região central de Florianópolis. Um adolescente, com parte dos objetos roubados e portando uma arma de brinquedo, foi preso em flagrante. Outros três criminosos continuam foragidos. 

O alvo dos bandidos são os turistas. No início da madrugada do último dia 4, Raúl Balbo, de 45 anos, de Córdoba, foi morto com um tiro na frente dos dois filhos dele. Recém-chegado na ilha, enquanto a mulher negociava a estadia em uma pousada próximo a Canasvieiras, ele foi conhecer a praia. Abordado, o argentino reagiu ao assalto e levou o tiro. Os criminosos levaram o carro dele, com todos os pertences, e permanecem foragidos. O secretário de Segurança Pública, César Grubba, afirmou que o policiamento será intensificado, porém disse também que é impossível impedir totalmente os crimes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.