SÃO PAULO - Um oficial da reserva da Polícia Militar provocou uma série de acidentes no início da madrugada desta quinta-feira na zona sul de São Paulo. Segundo testemunhas, ele bateu em três carros no trajeto entre as avenidas Rubem Berta e Bandeirantes.

Os motoristas de dois dos três veículos afirmaram que o policial estaria embriagado no momento das batidas. Segundo informações da Polícia Civil, o PM está com a carteira de habilitação vencida desde 16 de fevereiro do ano passado.

A primeira das colisões aconteceu pouco depois da meia-noite na Avenida Rubem Berta, debaixo do Viaduto Borges Lagoa, quando o carro dirigido pelo PM bateu na lateral do veículo de passeio de uma mulher.

Ela foi socorrida ao Hospital São Paulo com ferimentos no rosto e passou por exames, mas está fora de perigo. Em seguida, o PM se chocou contra a traseira de um carro no acesso da Rubem Berta para a Avenida dos Bandeirantes. Como o policial não parou, o motorista resolveu segui-lo. Ele foi até o local da terceira batida, ainda na Avenida dos Bandeirantes, próximo ao cruzamento com a Alameda dos Guaiós. Lá, o PM bateu na traseira de uma picape e se feriu.

"Ele estava completamente alcoolizado", afirmou o motorista Rogério Luz Paulino, de 36 anos, que estava ao volante do veículo de passeio. "Ele estava bem bêbado, embriagado mesmo", reforçou o instalador de ar condicionado Robson Eduardo de Castro, de 35 anos, que dirigia a picape. Ele estava acompanhado por dois colegas de trabalho, que também não se feriram. O policial foi socorrido ao Hospital Municipal Dr. Arthur Ribeiro Saboya, onde permanecia internado até o início da manhã.

Segundo as duas vítimas, não foi realizado teste de bafômetro no local do acidente. A assessoria de imprensa da PM não revelou o nome nem a patente do PM, apenas confirmou que ele é um policial da reserva há oito anos. Logo após o acidente, as vítimas foram encaminhadas ao 27º Distrito Policial (Campo Belo), onde seria feito o boletim de ocorrência, mas pouco depois das 4 horas tiveram de ir ao 96º DP (Monções), para onde o registro do caso foi transferido.

Leia mais sobre: acidente

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.