Exames do IML comprovam que jovem de 19 anos sofreu violência sexual na cidade de Aparecida de Goiânia

Dois policiais militares foram presos por suspeita de terem estuprado uma jovem de 19 anos na noite de terça-feira em Aparecida de Goiânia, Goiás. De acordo com o coronel Divino Alves, assessor de imprensa da corporação, uma viatura fazia patrulhamento pela região metropolitana quando avistou uma moto com três pessoas, sendo que uma delas estava sem capacete. Após a abordagem, descobriu-se também que o motorista estava sem documentos.

No entanto, o caso que deveria ter acabado ali, com multa aos infratores e a moto apreendida, transformou-se em crime. Segundo o coronel Alves, os policiais dispensaram os dois garotos e colocaram a jovem na viatura. Depois, já próximo à casa onde a vítima mora, o soldado A.G.B., de 36 anos, a estuprou. Exames do Instituto Médico Legal (IML) de Goiás comprovaram a violência.

O comando da PM afirma que o outro policial, D.S.S., de 36 anos, teria presenciado a cena sem nada fazer para intervir. "A polícia recebeu a informação de que havia uma viatura com uma mulher e chamou pelo rádio os policiais, que não responderam. Na casa da jovem, ela relatou o que havia acontecido e reconheceu os policias", afirma Alves, acrescentando que os suspeitos têm mais de 15 anos de serviço militar e carreira até então tida como "exemplar".

Os policiais foram desarmados pela própria PM e presos em flagrante. "Os dois devem responder por estupro, mesmo o que não cometeu, porque a ação também é se omitir", explica o coronel. Os dois negam o crime. Segundo Alves, os PMs estão detidos em presídio militar e à disposição da Justiça e da PM, que abriu uma sindicância interna para investigar o caso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.