Policiais militares ocupam acampamento de sem-terra no Rio Grande do Sul

BRASÍLIA - A Brigada Militar do Rio Grande do Sul cercou na madrugada desta quinta-feira e invadiu por volta das 9h um acampamento do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), na cidade de São Gabriel, no oeste do Estado, segundo informações do Instituto Nacional da Colonização e Reforma Agrária (Incra). De acordo com o órgão, o assessor técnico do Incra Leonardo Melgarejo e o ouvidor agrário do Rio Grande do Sul, Adão Paiani, seguiram para o local com o objetivo de acompanhar a ação da Brigada Militar.

Agência Brasil |

A área ocupada pelo MST foi comprada pelo instituto e cedida aos produtores rurais depois de negociações para desocupar a Fazenda Southall, em abril. A assessoria do Incra no Rio Grande do Sul informou que os policiais dizem ter um mandado de segurança, que estão fazendo uma operação de busca e apreensão nos barracos e identificando os sem-terra. A reportagem não conseguiu contato com a Brigada Militar para confirmar a informação.

Cedanir de Oliveira, membro da coordenação regional do movimento no estado, disse que estão no local cerca de 800 pessoas, além de crianças. Ele informou que o MST bloqueou 14 pontos em estradas gaúchas em solidariedade aos produtores rurais que estão no acampamento. Estamos muito apreensivos sobre a situação que está ocorrendo lá, disse.

De acordo com o coordenador, a Brigada Militar montou uma operação de guerra. Não há motivo para todo esse aparato, disse. Ele informou também que os sem-terra não têm conhecimento do que os policiais procuram e disse que não tem conseguido se comunicar com pessoas que estão dentro do acampamento. A área cedida ao MST fica na Fazenda São Paulo 2º, a 35 quilômetros da área urbana do município de São Gabriel.

Leia mais sobre: MST

    Leia tudo sobre: mst

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG