O Sindicato dos Policiais Civis da Bahia decidiu hoje paralisar as atividades da categoria em manifestação contra o assassinato do perito técnico Hilton Martins Rivas Junior. Ele foi morto ontem com três tiros no tórax durante uma abordagem feita por três policiais militares no bairro de Santo Antonio, no centro de Salvador.

A Corregedoria da Polícia Militar (PM) já abriu um inquérito militar para investigar o caso.

Segundo a corregedoria, que já ouviu os envolvidos, a alegação dos policiais é que eles atiraram para se defender. Porém, os agentes civis e duas supostas testemunhas negaram a versão dos PMs e exigem que o tenente Fagner Costa Santos, acusado de ser o autor dos disparos, se apresente à 2.ª Delegacia, onde foi instaurado o inquérito civil para apurar a morte do perito, de 25 anos.

Depois de ouvido pelo corregedor Manoel Bastos, Santos foi liberado para voltar ao trabalho, o que revoltou os policiais civis. Eles então decidiram paralisar as atividades de investigação e de registro de ocorrências. Os agentes também promoveram hoje uma manifestação na frente da sede da Polícia Civil e do Departamento de Polícia Técnica. O enterro do corpo de Rivas Junior está previsto para hoje à tarde. Ele deixa a mulher, grávida, e um filho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.