Há uma semana em greve, policiais civis de todo Estado de São Paulo fizeram hoje uma passeata que partiu da Associação dos Delegados do Estado de São Paulo (Adpesp) e chegou à sede da Secretaria da Segurança Pública (SSP), no centro da capital paulista. Os manifestantes pediram a saída do secretário da Segurança Pública, Ronaldo Marzagão.

Eles encontraram as portas da secretaria fechadas e guardadas pela Polícia Militar (PM). De acordo com a Adpesp, participaram da passeata mais de mil agentes da capital e do interior do Estado.

O diretor-executivo da associação, André Dahmer, afirmou que Marzagão se recusa a reconhecer a paralisação e ameaça punir os grevistas. Dahmer ainda acusou o governo de estar fazendo represálias. Segundo ele, no Diário Oficial do Estado de hoje foi publicada a transferência do presidente da Adpesp, Sérgio Marcos Roque, que trabalhava no Departamento de Inteligência da Polícia Civil (Dipol) e foi deslocado para o Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap). Para Dahmer, a medida busca desarticular a direção da greve.

De acordo com levantamentos da Adpesp, desde o início da paralisação o número de ocorrências registradas pela Polícia Civil caiu pela metade. A categoria pede reajuste salarial de 15% para este ano, 12% para 2009 e 12% para 2010. A adesão à greve, segundo Dahmer, é superior a 80% na capital paulista e a 90% no interior.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.