Policiais civis do Estado de São Paulo, em greve desde o dia 16, farão amanhã, às 11 horas, uma passeata para reafirmação das reivindicações da categoria e contra a posição adotada pelo governo frente à paralisação. Os manifestantes prometem ir da sede da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Adpesp), na Avenida Ipiranga, capital, até a Secretaria de Segurança Pública, na Rua Líbero Badaró.

O percurso ainda não foi definido. Amanhã, a greve faz uma semana.
De acordo com o diretor-executivo da Adpesp, André Dahmer, o número de ocorrências registradas mantém queda de aproximadamente 50% desde o início da paralisação. Segundo levantamento da Adpesp, na segunda-feira (15) da semana passada, véspera do início da greve, das 8 horas da manhã às 18h, foram registradas 1.242 ocorrências na capital. Já nesta segunda-feira (22), foram 644 registros.
Segundo Dahmer, a adesão da greve atinge 70% das delegacias da capital e 90% no interior. "Sem negociação, vamos continuar a greve por tempo indeterminado", disse Dahmer. Ele ainda ressaltou que a greve segue as restrições da liminar concedida pelo Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo (TRT-SP), que determinou que 80% do efetivo seja mantido em atividade.
A Polícia Civil reivindica reajuste salarial de 15% ainda em 2008, mais 12% em 2009 e 12% em 2010.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.